CreateThumbnail

A situação precária de duas rodovias federais de suma importância para as regiões sul e sudeste do Pará foi tema de audiência nesta quarta-feira (8), em Brasília, entre o governador Simão Jatene e o novo ministro dos Transportes, Maurício Quintella. Participaram do encontro, que ocorreu no ministério, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA); o secretário extraordinário de Relações Institucionais, Helenilson Pontes; e o chefe da Representação do Governo do Pará no Distrito Federal, Ophir Cavalcante.

As Rodovias BR-155 e BR-158, que interligam municípios como Altamira, Marabá, Redenção, Xinguara, Eldorado do Carajás, Rio Maria e Santana do Araguaia, no sul e sudeste do Estado, estão deterioradas, com buracos, trechos sem pavimentação e pontes inseguras, causando transtornos à população e a quem depende delas para o transporte de produtos e passageiros.

O governador lembrou ao ministro a importância das estradas no escoamento de grãos da região Centro-Oeste e, consequentemente, para a economia nacional. O trecho que compete ao Pará, que é a PA-150, está recuperado, disse o governador. “Precisamos agora é que o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) resolva o problema das rodovias federais”, disse Jatene.

O ministro garantiu ao governador que o trabalho de recuperação e até a reconstrução de vários trechos das rodovias já foi contratado. As empresas estão apenas aguardando o fim do período de chuvas para o início das primeiras obras, emergenciais, nas rodovias, disse Maurício Quintella.

Recuperação

A cessão da BR-316, na saída de Belém, do governo federal para o governo do Estado, foi outro assunto da audiência. O governador Simão Jatene expôs o projeto, que promete ajudar a combater um dos maiores problemas da área de mobilidade da Região Metropolitana de Belém: os intermináveis engarrafamentos e acidentes à entrada e saída da cidade, do Entroncamento ao município de Benevides.

O governador lembrou ao ministro que o projeto para recuperação da área está pronto e prevê obras de completa reconstrução das pistas, com três vias em cada sentido, a implantação de ciclovias e o uso do canteiro central para as obras de expansão do sistema de transporte urbano, com implantação de um corredor de transporte público, além da construção de terminais de passageiros.

Todas as obras fazem parte do programa Ação Metrópole, criado para melhorar a acessibilidade urbana e buscar solução para o tráfego saturado da rodovia BR-316, da Avenida Almirante Barroso e de algumas vias do centro de Belém. O projeto inclui a melhoria no sistema de transporte no trecho entre o Entroncamento e o município de Marituba; a construção de alternativas viárias à rodovia BR-316, como o prolongamento das avenidas João Paulo II e Independência; e a adequação de vias que integram a rede de transporte coletivo.

Os recursos para a implantação do projeto já estão em poder do governo do Estado, conseguidos junto à Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), braço do governo japonês que oferece apoio financeiro e técnico a governos federais, estaduais e empresas públicas de países na América Latina, África e Ásia, incentivando projetos nas áreas de infraestrutura urbana, conservação ambiental e saúde. O governador lembrou ao ministro que o processo de liberação já se arrasta no Ministério dos Transportes e no Dnit por quase dois anos, sem que haja uma solução concreta.

“Não podemos penalizar milhões de habitantes de uma cidade, que sofrem diariamente com um problema sério de mobilidade urbana, por questões burocráticas”, disse o governador ao ministro. Em resposta, Maurício Quintella se disse favorável ao projeto e que vai estudá-lo mais a fundo, pois assumiu o ministério recentemente e ainda está tomando ciência dos vários projetos que encontrou parados na pasta. (Pascoal Gemaque)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.