image

As assembleias gerais dos sindicatos e associações de servidores públicos, já realizadas na semana passada, autorizaram a adesão ao Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado do Tocantins (Musme) e também que o movimento coordene uma paralisação ou greve, na hipótese da ação acontecer. Os auditores fiscais do Estado já decidiram por estado de greve e assembleia geral permanente.

Segundo a assessoria de comunicação do Musme, na prática, a adesão quer dizer que, caso seja necessário chegar à deflagração de uma greve para garantir o pagamento do direito dos servidores, não será somente um sindicato a deflagrar, mas todos estarão juntos e poderá acontecer a primeira greve geral, de todas as categorias de servidores.

Até o momento, 11 entidades classistas realizaram assembleias gerais, entre elas o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol); dos Cirurgiões Dentistas (Sicideto); dos Servidores Públicos do Estado (Sisepe); dos Auditores Fiscais da Receita Estadual (Sindare); de Peritos Oficiais (Sindiperito); dos Jornalistas (Sindjor); dos Farmacêuticos (Sindifato); dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (Sinfito); dos Inspetores da Defesa Agropecuária (Sindefesa) e dos Auditores Fiscais da Receita Estadual (Sindifiscal) e também a Associação dos Praças e Militares (Apra).

Estado de greve

No sábado, durante a assembleia do Sindare, que já decidiu pelo estado de greve e assembleia geral permanente, o presidente Jorge Couto disse que a situação vivenciada pelos servidores é “inexplicável e despropositada”.

Ele ressaltou que a data-base deveria ter um tratamento prioritário por parte do governo. “Com a inflação em alta nos últimos dois anos, o poder de compra do servidor ficou muito menor, o que gera reflexos em seu ambiente familiar, em sua mesa”, disse o presidente ao lembrar que “esse tema [data-base] só fez ressurgir a insatisfação reprimida por antigas e atuais demandas não atendidas da categoria”.

Ações

De acordo com a coordenação do Musme, diversas ações de panfletagem começaram ontem em todo Estado e seguem até o fim da semana com o objetivo de conscientizar a população a respeito da importância do pagamento da data-base.

Até o fim da tarde de ontem, segundo as informações da assessoria, os panfletos já haviam sido entregues em órgãos da Capital, Tocantinópolis, Taguatinga, Porto Nacional, Araguaína e outras cidades do interior. (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.