Mais uma vez a alimentação deixa de ser servida nos hospitais públicos do Estado. No Hospital Geral de Palmas (HGP), os servidores públicos estão sem alimentação desde de sábado, e que a falta de alimentação passou a atingir também os acompanhantes e pacientes. Além do HGP, as unidades do Hospital Infantil de Palmas (HIP) e Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR). As informações do Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado (Seet).

Além disso, o sindicato recebeu a denúncia de que ontem, no HGP também não tinha papel toalha e papel higiênico. Ainda segundo servidores relataram ao Seet, alguns medicamentos estão em falta. A denúncia cita ainda que a unidade não possui esparadrapo adequado.

Conforme o presidente do Seet, Claudean Pereira Lima, no interior outras unidades estão sem alimentação. Até o momento os Hospitais Regionais de Dianópolis, Gurupi, Augustinópolis sofrem com o problema, que segundo o sindicato, atingem servidores e pacientes. A informação do Seet, é que só em Augustinópolis ainda tem alimentação para os pacientes.

No Hospital Regional de Gurupi (HRG), uma servidora, que não quis se identificar disse que hoje quando chegou foi informada que não tinha alimentação no hospital. Para ela essa situação é complicada, já que muitos têm plantões e não levam dinheiro extra para a alimentação ou não tem como voltar para casa para comer. A informação da cozinha do HRG é que o café da manhã ainda está sendo servido, mas o almoço, a partir de hoje, não será servido.

Orientação

Conforme o presidente do Seet, o sindicato já notificou e aguarda as respostas do governo e da empresa Litucera Ltda, em um prazo de 48 horas, sobre os motivos da falta de alimentação. “Já virou moda, uma moeda de troca, toda vez que o governo deixa de fazer um pagamento é cortada a alimentação. É um absurdo”, desabafou o presidente.

Lima informou que está orientando os servidores plantonistas a utilizarem a hora de descanso para sair das unidades e comprar seus lanches. “Pedimos para eles pegarem as notas fiscais e passarem para nós, que cobraremos judicialmente do governo esses gastos. É obrigação do governo fornecer alimentação para os funcionários em plantão”, destaca.

Sesau

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) disse que “está tomando todas as providências legais para a alimentação dos servidores de plantão do Sistema Único de Saúde (Sus)”, já que não vai permitir que nenhuma empresa prejudique o tratamento dos pacientes, “muito menos a rotina de trabalho dos valorosos servidores que têm o direito à alimentação durante os plantões”

Conforme a nota, os pacientes internados nas unidades hospitalares do Estado estão com dietas regulares. A Saúde ainda esclarece que não existe orientação para a liberação de entrada de alimentos nos hospitais, já que isso pode prejudicar os pacientes e pede a compreensão dos servidores.

Em entrevista à CBN, o secretário de Saúde, Marcos Esner Musafir,disse que o governo, no último mês repassou a Litucera o valor de R$ 7,5 milhões para a realização dos serviços que ela presta a saúde estadual.

“Ontem ainda tivemos uma reunião que conseguimos um recurso para antecipar o pagamento da empresa”, desatou, informando ainda que ainda hoje ou amanhã esse pagamento deve ser realizado. Ainda segundo o secretário, a falta de alimentação somente afetou os funcionários, não chegou até os pacientes.

A redação também tentou contato com a Licetura, mas foi informada que o responsável está viajando. (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.