Marcelo Miranda não se mostrou muito preocupado em resolver o problema até agora
Marcelo Miranda não se mostrou muito preocupado em resolver o problema até agora

Os pacientes com câncer estão tendo que conviver com a falta de medicamentos e materiais no Hospital Geral de Palmas (HGP). Algumas pessoas relatam que estão tirando o dinheiro do próprio bolso para arcar com as despesas. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), em Palmas 583 pacientes fazem o tratamento.

A dona de casa Maria José Martins se livrou de um tumor na mama, mas pouco depois teve metástase. As células cancerígenas estão agora ao redor da pleura, dos ossos e do pulmão. Já são sete anos lutando contra a doença.

Ela é acompanhada pelo setor de oncologia do HGP e depende de dois medicamentos essenciais para o tratamento: zometa que é aplicado na veia a cada 28 dias e anastrozol, que custa R$ 850 a caixa com 30 comprimidos. Os remédios deveriam ser fornecidos pelo Estado, mas estão em falta há pelo menos três meses.

Pacientes reclamam da falta de materiais e medicamentos
Pacientes reclamam da falta de materiais e
medicamentos

“O anastrozol a gente compra fora, eu mando buscar em São Paulo. O outro não tem como, porque é uma medicação hospitalar. Eu estou com medo porque estou com muita dor no quadril e na perna, acarretou depois que parei de tomar zometa”, lamentou.

Além da falta de medicamentos, no setor de oncologia também não tem materiais. O paciente que quiser dar sequência ao tratmento tem de pagar do próprio bolso. Foi o que a dona de casa Luciana Soares fez.

Ela teve que comprar uma agulha por R$ 160 para dar continuidade ao tratamento do filho de 14 anos que está com leucemia. “Não está fácil e o hospital não esta fornecendo”.

Em nota, a Sesau informou que já solicitou a compra do medicamento anastrozol e do ácido zolendrônico e que está cobrando dos fornecedores rapidez na entrega. Informou ainda que está contratando uma empresa especializada em medicina nuclear para os pacientes oncológicos. (G1)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.