Deputado Eduardo Siqueira Campos, na época da propina era ex-secretário estadual de Relações Institucionais
Deputado Eduardo Siqueira Campos, na época da propina era secretário estadual de Relações Institucionais

O Ministério Público Estadual instaurou nesta segunda-feira, 06, um Inquérito Civil para averiguar a existência de eventuais atos de improbidade administrativa supostamente praticados pelo então ex-secretário estadual de Relações Institucionais e atual deputado estadual, Eduardo Siqueira Campos, e o ex-diretor do Detran, Júlio César Mamede Tocantins. As investigações pretendem apurar ato de improbidade administrativa consistente em suposto recebimento de propina no valor de R$ 600 mil, cujo valor seria destinado para pagamento de cartilha para educação no trânsito.

Ex-diretor do Detran, Júlio César Mamede, também apontado como propineiro
Ex-diretor do Detran, Júlio César Mamede, também apontado como propineiro

A Portaria nº 040/2016 da 9ª Promotoria de Justiça da Capital, que determinou a instauração do Inquérito Civil, relata a divulgação do conteúdo do acordo de delação premiada do empresário Benedito Oliveira Neto, conhecido como Bené. Ele é apontado pela Polícia Federal como operador financeiro do Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e relatou que teria pago propina para Eduardo Siqueira Campos em 2012, quando este exercia o cargo de Secretário de Relações Institucionais na gestão do Governo Siqueira Campos, no Palácio Araguaia.

O Promotor de Justiça Edson Azambuja, responsável pelo caso, conta que, segundo matéria jornalística publicada recentemente, a propina no valor de R$ 600 mil teria sido entregue a dois servidores públicos do Governo do Estado e, desse total, R$ 450 mil teriam sido divididos entre o diretor do Detran/TO e o então Secretário de Relações Institucionais.

Ainda de acordo com Azambuja, será encaminhado ofício ao presidente do Detran/TO para que no prazo de 10 dias envie cópia dos contratos de publicidade para produção da cartilha educativa, além de cópia das notas de empenho e liquidação dos pagamentos efetuados às empresas de publicidade.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.