Dados divulgados pelo Ministério da Saúde mostram que foram confirmados 1.616 casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivos de infecção congênita em todo o país, entre dezembro de 2015 a 18 deste mês. No Tocantins, são 17 casos confirmados segundo os dados.

No Estado, ao todo são 155 casos suspeitos, sendo que 53 estão em investigação, outros 85 já foram descartados. Conforme a Secretaria de Estado da Saúde, dos 17 casos, nove foram confirmados através de exames de Sífilis, Toxoplasmose, Rubéola, Citomegalovírus ou Herpes (STORC) e oito por exame de imagem com alteração típica.

Até março desse ano, a Sesau, havia informado que existia a suspeita de 137 casos de suspeita de microcefalia em 24 municípios. Haviam onze casos confirmados, um crescimento de 6 casos em um período de aproximadamente três meses.

A Sesau destacou ainda que não existe confirmação se os casos têm relação com o vírus da zika.

Nacional

Desde o início das investigações, em outubro do ano passado, 8.039 casos suspeitos foram notificados nacionalmente, 3.416 casos foram descartados. Já no que se refere aos casos confirmados, os 1.616, apenas 233 tiveram confirmação de estar relacionado com o vírus Zika.

Conforme os dados do Ministeiro da Saúde, a região com maior número de casos confirmados foi a Nordeste com 1.410, de um total de 2,070 casos suspeitos, já a região com menos confirmações foi a região Sul, com dez casos confirmados de 33 suspeitos. O norte do Brasil teve 49 casos confirmados de um total de 130 suspeitos.

Ainda segundo o ministério, no que se refere aos óbitos, no mesmo período, foram registrados 324 óbitos suspeitos de microcefalia. O valor representa 4% dos casos notificados. Destes 86 foram confirmados, outros 56 foram descartados, os demais continuam em investigação. (Jornal do Tocantins)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.