A Secretaria do Estado da Saúde realiza a partir desta terça-feira, 28, a partir das 8 horas, Capacitação para Assistência Integral ao Paciente de Hanseníase para profissionais da Atenção Primária de 23 municípios para controle da hanseníase no Tocantins. A capacitação acontece na Escola Tocantinense do SUS (ETSUS) Dr. Gismar Gomes, em Palmas.

Fazem parte do grupo os municípios contemplados Araguanã, Santa Fé do Tocantins, Paranã, Lagoa do Tocantins, Oliveira de Fátima, Tocantinópolis, Palmeirópolis, Esperantina, Colmeia, Arapoema, Novo Alegre do Tocantins, Miranorte, Conceição, Riachinho, Aurora do Tocantins, Fátima, Crixás do Tocantins, Chapada de Natividade, Monte Santo, Rio dos Bois, Pindorama do Tocantins, Palmas e Marianópolis.

A capacitação será realizada em Palmas e é oferecida a profissionais de saúde de nível superior que atendem usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em ações voltadas para o diagnóstico e tratamento da hanseníase, avaliação e monitoramento da função neural, diagnóstico e tratamento das reações, técnicas simples de prevenção e reabilitação de incapacidade física, vigilância de contatos e organização de serviço.

Segundo a responsável pela Área Técnica da Hanseníase, Liz Freire, dados recentes do Tocantins evidenciam um coeficiente de detecção geral de 75,28 para cada grupo de 100.000 habitantes e um coeficiente de detecção em menores de 15 anos de 20,60 para cada grupo de 100.000 habitantes. “Ambos os indicadores são considerados de perfil hiperendêmicos, segundo os parâmetros do Ministério da Saúde”, completa Liz.

Ainda de acordo com a técnica, a capacitação é necessária para profissionais de saúde que se encontram engajados ao atendimento do paciente com hanseníase e por isso eles precisam estar preparados e atualizados tecnicamente para realizar um diagnóstico e tratamento precoces, evitando as deformidades decorrentes do processo saúde-doença. “Os profissionais de saúde, sobretudo os que atuam nessa região, têm um papel preponderante no controle e eliminação da doença, o que justifica a necessidade de capacitar estes profissionais, bem como mantê-los atualizados sobre a hanseníase”, completa Liz.

Hanseníase

A hanseníase é uma doença contagiosa e sua transmissão acontece pelas vias aéreas superiores e pelo contato prolongado com a pessoa portadora não tratada. Os primeiros sintomas são: manchas vermelhas ou brancas, com perda ou diminuição de sensibilidade, em qualquer parte do corpo.  A doença afeta a pele e os nervos e podendo causar deformidades físicas se não tratada.

O tratamento é gratuito e pode durar de seis meses a um ano, sendo baseado em medicamentos administrados via oral, encontrados apenas no Sistema Único de Saúde (SUS). Somente após o início do tratamento, é interrompido o ciclo de transmissão da doença.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.