Estudantes universitários dos cursos de medicina e biomedicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa) de Marabá, fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira (15) em um trecho da rodovia Transamazônica. Eles temem que o curso de graduação seja extinto no município. De acordo com a Uepa, ainda não há definição sobre os cursos oferecidos e suas localidades.

Os manifestantes denunciaram a demora na conclusão das obras de construção do prédio que irá abrigar os cursos da área da saúde na universidade. Eles afirmam que o espaço começou a ser construído em 2013 e deveria ter ficado pronto em 270 dias corridos, porém, com as obras paradas há cerca de dois meses, o vestibular para vestibular em 2017 teria sido suspenso. Os universitários contam que estão estudando em sala alugadas enquanto esperam pela realização das obras.

Em nota, a Uepa informou que o quadro de vagas para o próximo Processo Seletivo ainda não foi submetido à aprovação do Conselho Universitário (Consun). Logo, ainda não há definição sobre quais cursos irão ser oferecidos e nem as localidades. O assunto deverá entrar na pauta da reunião logo no início do segundo semestre, sem prejuízos aos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Ainda de acordo com a nota, a empresa responsável pelas obras no campus foi notificada diversas vezes devido aos atrasos constantes no cronograma de execução do serviço. E como não cumpriu o acordado, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) já está providenciando o cancelamento do contrato. Em função disso, uma nova licitação deverá ser feita o mais breve possível, para tentar minimizar os prejuízos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.