imperatriz vista area

Em 16 de julho de 1852, três anos depois da partida da expedição que saiu do porto de Belém, nasceu a Colônia de Santa Tereza do Tocantins. Naquela época a região onde hoje encontra Imperatriz era território do Estado do Pará.

Segundo o historiador Adalberto Franklin, dois anos antes da fundação a região passou a ser território do Maranhão.

O Frei Manoel Procópio do Coração de Maria, capelão da expedição, foi o fundador da povoação. Depois de quatro anos, em 27 de agosto de 1856, a lei n.º 398 criou a Vila Nova de Imperatriz, que anos mais tarde deu origem a cidade de Imperatriz, nome dado em homenagem à imperatriz Tereza Cristina.

De acordo com Adalberto Franklin, após colônia se tornar Vila Nova de Imperatriz, a cidade passou por um período em que o número de habitantes não chegava a mil pessoas.

“Quando Imperatriz se tornou cidade não tinha nem mil habitantes na sede e, isso vai aproximadamente até o ano de 1940, onde podia encontrar pouco mais de 1.200 pessoas na sede”, ressalta o historiador.

Essa quantidade de habitante não durou muito tempo, pois por volta de 1950 o território de Imperatriz englobava o território que vai de Açailândia até Grajaú e nessa região, já se podia encontrar 10.000 habitantes.

Adalberto Franklin destacou ainda que em 1953 começou a primeira integração de habitantes na região. É quando começa a chegada dos primeiros migrantes da seca do nordeste.

“Imperatriz só começou ter o seu primeiro crescimento com a chegada desses migrantes que vinham da seca do nordeste. Isso aconteceu por causa da abertura da estrada, assim, em 1960 a cidade já tinha 34.000 habitantes, em 1953 a 1955 foram à vinda dos povos que fugiam da seca, e a partir de 1958 o inicio da
construção da rodovia BR-010”, destaca Adalberto Franklin.

Antes da construção da rodovia os imperatrizenses nunca tinham visto um carro, mas já conheciam o avião. Adalberto Franklin comentou que “Imperatriz conheceu o avião antes do caminhão”

Segundo o historiador, antes da construção da rodovia, a cidade contava um aeroporto que ficava localizado onde hoje fica o hospital da Unimed. Mas, pouco tempo depois esse aeroporto mudou para a região onde hoje existe a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unidade Regional de Educação e as Escolas Graça Aranha e Dorgival Pinheiro de Sousa.

Após esse período quando começou a construção da rodovia Belém-Brasília, foi quando a cidade conheceu o primeiro automóvel, o historiador frisou que a chegada desse automóvel foi de grande importância para a cidade na época.

Com a construção da estrada Imperatriz se tornou um ponto estratégico, e foi quando ganhou o apelido de “O portal da Amazônia”, pois o inicio da floresta Amazônica era aqui na cidade.

“Imperatriz era um lugar de grande importância para a rodovia, pois o objetivo da construção da estrada era derruba a floresta, e aqui começava a mata Amazônica, nesse período a cidade recebeu o apelido de ‘O Portal da Amazônia’”, finaliza Adalberto Franklin. (iMirante)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.