Um auxiliar de serviços gerais de 25 anos foi absolvido nesta terça-feira (30) da acusação de ter estuprado e corrompido uma prima que atualmente tem 15 anos. As informações são do Tribunal de Justiça do Tocantins. Em 2010, quando os jovens começaram um relacionamento, o rapaz tinha 18 anos e a menor dez. O caso aconteceu em Araguaína, no norte do Tocantins.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o relacionamento dos jovens teve início quando os dois passaram a morar na casa da avó paterna da menina. Em 2011, eles tiveram a primeira relação sexual.

O pedido de condenação feito pelo MPE, não foi acatado pela Justiça. No entendimento da juíza Cirlene Maria de Assis Santos Oliveira, não havia motivos para condenar o acusado à prisão, já que durante o processo, ficou provado que há um sentimento amoroso correspondido entre os jovens, desde o início do relacionamento. O casal teve até filhos nesse período.

“Se o intuito do acusado fosse o de simplesmente satisfazer sua lascívia, não estaria até hoje convivendo com a vítima, em um amor que dura há anos”, afirmou a juíza, que é titular da Vara Especializada no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Araguaína.

Na decisão, a magistrada considerou a situação como “conflitante”, uma vez que durante o processo ficou claro que os jovens continuam vivendo juntos.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.