O Tocantins teve avanço no acompanhamento de indicadores no último ano. É o que mostra informativo situacional das ações da Política Nacional de Alimentação e Nutrição, que foi apresentado pelo Ministério da Saúde. Enre os municípios tocantinenses, estão dois do Bico do Papagaio, que avançaram nos indicadores, que são Axixá do Tocantins e Praia Norte. O progresso é percebido na cobertura de acompanhamento da população pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan/Web), que apresentou no indicador geral cobertura de 20,7%, sendo que a média nacional é de 11,5%.

Com relação à cobertura da suplementação de vitamina A para crianças na faixa etária de seis a 11 meses, os municípios também superaram a meta, com 79,8%, sendo que a média nacional é de 60,8%. Já no que diz respeito à cobertura de 12 a 59 meses, os municípios do Tocantins alcançaram 71%, mais uma vez superando a média nacional, que foi de 56,7%.

No acompanhamento pela saúde dos beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) no ano de 2015, que tem o primeiro ciclo finalizado no próximo dia 10 de julho, os municípios apresentaram uma cobertura de  70,92% de famílias já acompanhadas, sendo a  média nacional de 64,7%.

Diminuição da desnutrição

O Ministério da Saúde também apontou que diminuiu a desnutrição em crianças menores de cinco anos, que fazem parte da Agenda de Atenção Nutricional à Desnutrição Infantil. Em 2011, a prevalência era de 11,9% e, em 2014, caiu para 5,5%.

Os dados citados foram apresentados no Encontro Nacional com Referências Estaduais em Alimentação e Nutrição, que ocorreu em Brasília, nos dias 16 e 17 de junho de 2015.

Agenda de Atenção Nutricional

Entre as 21 municípios tocantinenses que fazem parte da Agenda de Atenção Nutricional à Desnutrição Infantil estão os biqueses: Axixá do Tocantins, Praia Norte, Esperantina, Luzinópolis, além dos municípios na região do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), como Maurilândia e Tocantinópolis.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.