1000

A viabilidade operacional e o potencial de investimentos a partir da hidrovia do Rio Tocantins foram discutidos nesta terça-feira, 21, com representantes da empresa Euroconsult Group, em reunião na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). O encontro já é resultado da missão à Europa, realizada pelo governador Marcelo Miranda e integrantes do Executivo no mês de junho.

O Ecoporto de Praia Norte foi um dos temas centrais da reunião.

Por se tratar de um rio federal, a operacionalização da hidrovia depende de autorização da União. A intenção do Governo do Tocantins é atrair empresas  interessadas em investir no setor. A partir daí, pretende-se apresentar à sociedade organizada, gestores municipais e representantes das comunidades a serem beneficiadas a importância da iniciativa e o que representa esta oportunidade para o desenvolvimento do Estado. Após este passo, com apoio dos setores citados, o Governo vai buscar junto ao Congresso Federal a aprovação de mecanismos legais, com normativas que permitam o desenvolvimento do transporte hidroviário com a máxima segurança jurídica.

O subsecretário da pasta, José Carlos Bezerra, enfatizou que esta é uma oportunidade de crescimento para o Tocantins. “É um momento importante que vamos capitalizar e dar encaminhamentos no sentido de que esses empreendimentos venham ao encontro do desejo do Governo de fortalecer os modais de transporte, especificamente a hidrovia, que tem uma competitividade muito alta em relação aos demais”, disse, acrescentando que o Governo está à disposição para colocar a sua força em defesa da hidrovia.

Administrador da Euroconsult no Brasil, Carlos Dias destacou o interesse da empresa em atuar no Tocantins. “A gente reconhece todo o potencial que o Estado fornece: do clima, da localização e da hidrografia. Nós acreditamos que, para desenvolver esse potencial é preciso assessoria técnica de alto padrão. A Euroconsult identifica que a sua experiência e expertise se encaixam muito bem para dar toda a assessoria que o Governo precisa. Então, a nossa intenção é ofertar os serviços da empresa e, junto com o Governo, ajudar  a mostrar ao mundo esse potencial para o desenvolvimento do Estado”, destacou.

Desafios

Além da autorização federal, outro desafio para o transporte por hidrovia no Estado são as eclusas, mas tanto um quanto o outro são considerados transponíveis pelo superintendente de Desenvolvimento Econômico da Sedetur, Vilmar Carneiro. “Hoje são três eclusas, custando em torno de R$ 1 bilhão cada uma. Mas, nas contas que fazemos, esse obstáculo não é intransponível porque a  gente enxerga que tem viabilidade, tem margem de lucro para quem fizer investimento. Fazendo uma programação de investimentos para a cada cinco anos termos uma eclusa pronta, a gente consegue, com certeza, gerar resultados econômicos vantajosos para quem investir nessa área, no prazo de 25 anos”, frisou.

Para o superintendente, a viabilização da hidrovia no Rio Tocantins é uma questão de interesse do Estado, do Governo e da sociedade tocantinense; mas também vem ao encontro dos interesses comerciais dos demais estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Ainda segundo ele, a discussão e defesa do Estado para viabilizar a hidrovia neste momento é oportuna, levando em consideração que o próprio governo federal está lançando o olhar para este setor, com o Plano de Investimento em Logística. Ele ainda frisou o potencial de rentabilidade econômica que esta modalidade de transporte apresenta para a hidrovia do Tocantins, em comparação com outros meios, como as rodovias e ferrovias.

O diretor geral da Euroconsult no Brasil, Andrés Álvarez Wurtemberger, afirmou que vai apresentar os pontos discutidos ao Conselho Administrativo da empresa, em Madrid, na Espanha, e expor a intenção do Governo de desenvolver mecanismos para atração de investidores. Ele também disse que vai pontuar como a empresa pode interferir na busca de investimentos para o Tocantins.

Potencial

Na reunião, a equipe da Sedetur expôs aos empresários informações que confirmam o Tocantins como um destino rentável para investidores, como o crescimento econômico demonstrado pelos indicadores do Produto Interno Bruto (PIB), a expansão dos setores agropecuário e industrial, a Ferrovia Norte/Sul, o Ecoporto Praia Norte, e especialmente a criação da região do Matopiba (englobando os estado do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), que já é considerada a maior fronteira agrícola em expansão do mundo.

Também participaram da reunião representantes das secretarias de Estado do Planejamento (Seplan), Maurício Fregonesi ; e da Fazenda (Sefaz), Jales Pinheiro Barros, além de equipe técnica da Sedetur.

Sobre a empresa

A Euroconsult Group está presente em 21 países, atuando nas áreas de infraestrutura do transporte; edificação e engenharia urbana, energia, água e meio ambiente; além de serviços tecnológicos, como laboratórios, engenharia geotécnica, inspeção e auscultação de infraestruturas; e monitoramento de estruturas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.