Após o levantamento da lista de produtores inadimplentes no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec) e a convocação dos mesmos aos escritórios da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), fiscais agropecuários da agência iniciaram, neste mês, a busca e vacinação assistida dos 117.211 bovinos e bubalinos que não foram imunizados contra febre aftosa entre 1º de maio e 10 de junho.

“Encerrando a campanha de vacinação, a Aged sai a campo para buscar os criadores que não vacinaram no período certo. Esses criadores que não vacinaram são os que chamamos de inadimplentes. Eles têm que prestar contas para que nós evitemos qualquer problema sanitário”, adverte o presidente da Agência, Sebastião Anchieta.

De 27 de junho a 08 de julho, a Unidade Regional Balsas, que alcançou uma cobertura vacinal de 99,26%, iniciou as visitas aos 26 e 55 criadores de bovinos ou bubalinos inadimplentes em Riachão e Feira Nova do Maranhão, respectivamente. Como resultado, quase 390 bovinos e 50 bubalinos foram recuperados. “Foi feito um planejamento de busca aos criadores que possuem maior rebanho inadimplente. No próximo mês, vamos focar nos criadores inadimplentes de Feira Nova do Maranhão, onde possuímos mais dificuldade de deslocamento”, conta o fiscal agropecuário Edwaldo Marques Junior.

Segundo o planejamento do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no Maranhão, até 30 de setembro, 100% do rebanho maranhense deverá está protegido da doença. “Outras ações devem ser feitas em conjunto para recuperar os inadimplentes e solidificar as informações de conscientização destes. Queremos trabalhar em conjunto com os agentes comunitários de saúde, para que todos se sensibilizem quanto à importância da vacinação contra a febre aftosa, e intensificar as ações de educação sanitária para conscientização do criador maranhense”, explica o responsável pelo PNEFA na Aged, Adriano Moura.

De acordo com os dados divulgados pela Aged, na I Etapa da Campanha de Vacinação contra febre aftosa deste ano, o Maranhão alcançou o índice vacinal de 98,46% e manteve seu status de zona livre com vacinação. A próxima etapa acontece em novembro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.