Na reunião,o secretário de Meio Ambiente de Augustinópolis destacou que o Projeto é um desejo antigo da cidade
Na reunião,o secretário de Meio Ambiente de Augustinópolis destacou que o Projeto é um desejo antigo da cidade

A equipe Norte da fase de diagnóstico do Projeto Lixo &  Cidadania está na região do Bico do Papagaio e, nesta quarta-feira, 27, realizou busca ativa por catadores na cidade de Augustinópolis. O Projeto é executado no Estado pela Secretaria do Trabalho e Assistência Social( Setas) e,  nesta fase, realiza visita a aterros sanitários e cadastro de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis nos 139 municípios tocantinenses.

Em reunião com o secretário de Meio Ambiente de Augustinópolis, Valteir Sales, a assiste social da equipe, Sâmea Silva, destacou a necessidade de realizar a busca por catadores para realização do cadastro sócio- econômico dos mesmos. “Eles são o público-alvo do Projeto e a próxima etapa é a capacitação desses catadores, então precisamos localizá- los em todos os municípios e conhecer a realidade e necessidade deles, assim como saber quais tipos de cursos eles tem preferência”, disse.

A equipe está na região do Bico do Papagaio realizando busca ativa por catadores
A equipe está na região do Bico do Papagaio realizando busca ativa por catadores

Já o secretário disse que a chegada do Projeto era “um desejo antigo do município”. “Só temos a ganhar com a chegada deste projeto ou com a formalização de cooperativas e associações dos catadores, já que os catadores conseguem melhoria de renda e toda cidade ganha com a limpeza das ruas e aumento da vida útil do aterro sanitário”, explicou.Raimundo Silva, disse que passou a ser catador quando começou a trabalhar para a Prefeitura na limpeza pública. Ele, que consegue aumentar a renda familiar com a venda das latinhas que coleta, disse que gostou de saber que há possibilidade de fazer cursos por meio do Lixo & Cidadania. “Queria fazer um curso de reaproveitamento de papelão. É uma forma de aprender outros trabalhos”, comentou.

Na reunião,o secretário de Meio Ambiente de Augustinópolis destacou que o Projeto é um desejo antigo da cidade
Na reunião,o secretário de Meio Ambiente de Augustinópolis destacou que o Projeto é um desejo antigo da cidade

O lixão localizado a cerca de 2km da entrada da cidade será desativado assim que o aterro sanitário passe a ser utilizado. Mas é lá que o pedreiro Raimundo Nonato da Silva tem buscado formas de sair da crise financeira. “Tem 15 dias que eu comecei a fazer coleta aqui e não tenho vergonha de ser identificado como catador. Eu achei muito interessante esse projeto, porque nunca imaginei que tivesse algo assim, pensado para a categoria”, frisou.

A equipe continua em Augustinópolis nesta quinta-feira, 28, para finalizar o cadastro dos catadores identificados no município. Já a equipe Centro e Sul, devem visitar  Gurupi, Lagoa da Confusão, Esperantina, Buriti do Tocantins, São Sebastião e Carrasco Bonito.

O Projeto visa promover o desenvolvimento sustentável, social e econômico de famílias de catadores no Estado do Tocantins
O Projeto visa promover o desenvolvimento sustentável, social e econômico de famílias de catadores no Estado do Tocantins

Diagnóstico

Durante a fase de diagnóstico, que está em execução, três equipes de trabalho formadas por um catador, um assistente social e um engenheira ambiental trabalham simultaneamente para percorrer os 139 municípios do Estado realizando cadastro de catadores e coleta de dados sobre a situação ambiental de cada um deles.

Lixo & Cidadania

O Projeto que visa promover o desenvolvimento sustentável, social e econômico de famílias de catadores no Estado do Tocantins, por meio de ações como diagnóstico, capacitação social e profissional, aparelhamento de empreendimentos, realização de campanha de educação ambiental, entre outros. A fase de diagnóstico está finalizando o cadastro dos catadores e coleta de dados ambientais nas cidades.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.