incendio2

Sete bombeiros especialistas no combate a incêndio florestal das unidades de Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás foram enviados para o município de São Geraldo do Araguaia, no sudeste do Pará, para combater o incêndio que destrói a vegetação do Parque das Andorinhas, colocando em perigo as comunidades de Sucupira, Santa Cruz e ilha dos Campos.

Segundo o Corpo de Bombeitos, o grupo foi acionado pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade (Ideflor-Bio) para combater as chamas de cinco focos de queimada que consumiam aproximadamente 30 alqueires da vegetação. Havia, ainda, a preocupação dos técnicos do Ideflor de que o incêndio atingisse uma área de estocagem de uma grande quantidade de madeira apreendida pelo Instituto e que está à disposição da Justiça.

O comandante de Marabá, major Átila Portilho, informou que na última sexta-feira (8), dos cinco focos de incêndio iniciais, dois foram debelados após três dias de intensa atividade na área, exatamente os de maior preocupação devido à proximidade da comunidade Sucupira.

Reforço

O Corpo de Bombeiros recebeu o apoio do helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), que realizou o sobrevoo da área e localizou os pontos mais críticos das queimadas. A vegetação local, que é formada por chapadas de até 100 metros de altura, e a grande distância entre os focos, dificultam o combate às chamas.

Os bombeiros estão equipados com bombas costais, abafadores, carro de combate a incêndio de seis mil litros de água e uma caminhonete equipada com materiais específicos para os trabalhos. O grupo também recebe apoio da 23ª Companhia de Comunicação do Exército de Marabá, com a concessão de cinco rádios e uma base móvel para auxiliar nas operações.

Segundo os bombeiros, os trabalhos continuarão até que todos os focos de incêndio sejam extintos e a previsão da equipe é de permanência na área por mais 15 dias. Ainda assim, a corporação, por precaução, está colocando em alerta mais 13 militares com capacitação em área de selva, uma vez que a região está passando por uma época de escassez de chuva.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.