Sem apresentar provas e baseado apenas em indícios, a Comissão Pastoral da Terra Araguaia/Tocantins, divulgou carta na terça-feira, 19 e publicada no próprio site da organização, onde aponta o que seria uma onda de violência que se alastra entre comunidades camponesas em luta por terra e expressa seu apoio e solidariedade às pessoas envolvidas nos conflitos, que segundo a Pastoral estariam sendo agredidas.

A Pastoral vai ainda mais longe e levanta suspeitas sobre a criação da Associação dos Minis, Pequenos e Médios Produtores Rurais de Carrasco Bonito (Assomperusca). Sem apontar de maneira explicita o nome da associação, a Pastoral menciona a data da reunião e criação da entidade e menciona o nome do coronel aposentado da Polícia Militar, conhecido como Coronel Parente, sendo um dos articuladores.

Diz o trecho da carta, “Há informações de que, no fim de junho, foi organizada uma reunião no município de Carrasco Bonito com mais de 50 pessoas, dentre elas fazendeiros e pistoleiros de cidades do Bico do Papagaio. As informações sugerem que o propósito do grupo seria articular uma força para matar famílias sem terras daquela região. A situação assemelha-se à vivida na década de 80, quando um grupo se reuniu em um consórcio e encomendou a morte de Padre Josimo Moraes Tavares, coordenador da CPT naquela época. Esse encontro, segundo informações, foi articulado pelo coronel aposentado da Polícia Militar conhecido por Parente – que se diz proprietário de uma das áreas em disputa”.

Clique AQUI e leia a carta completa no site da Pastoral.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.