Quatro índios da etnia Kayapó participaram de uma reunião na manhã deste sábado (9) com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) em Redenção, no sul do Pará, e assinaram um termo de compromisso para combate ao garimpo ilegal na região.

Durante o encontro, os indígenas se comprometeram em não permitir que os garimpeiros explorem o ouro das terras da aldeia, além de ajudarem na fiscalização das terras, bem como na denúncia de possíveis invasões de garimpeiros na área.

“Foram diversas operações do Ibama para a destruição de máquinas. Em todas as operações feitas no garimpo nunca foi trabalhada a conscientização dos índios e a questão do comércio do ouro que alimenta esse mercado”, explica a delegada da Polícia Federal Shirley Caselani.

Na última quinta-feira (7), a Polícia Federal prendeu oito pessoas, entre elas dois indígenas suspeitos de participar de um esquema de exploração e venda ilegal de ouro. De acordo com as investigações, o minério era extraído de áreas da tribo Kayapó e vendido em outros estados.

Os dois indígenas continuam presos. Na reunião também ficou decidido que será encaminhada à Justiça uma proposta de revogação da prisão preventiva que seria substituída pela concessão de liberdade provisória e que os suspeitos responderiam ao processo em liberdade.

“O mais importante é que a conscientização da comunidade de que não pode haver exploração, do contrário, vai continuar a prática. Esse diálogo com a Polícia Federal e o Ministério Público é inédito e o compromisso deles é importante para que percebam que não estão se beneficiando com isso”, esclarece a procuradora federal da República Luíza Astarita.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.