Oito presos fugiram nesta quarta-feira, 6, da Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), norte do Estado. Conforme a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), a fuga aconteceu às 2h40 e foi percebida as 03h30.

Ainda segundo a pasta, o grupo escavou um túnel de aproximadamente de 2,5 metros para a fuga. O buraco saia da cela 6 no Pavilhão B e passava por baixo da fundação da CPPA até chegar a uma área externa da unidade. Ao sair do túnel, os presos fugiram ao escalar o muro da unidade.

A Seciju informou que os procedimentos legais já foram tomados, um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado e um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) foi instaurado para apurar o caso. O túnel já foi analisado pela perícia. A secretaria destacou também que a concretagem do burraco por onde o grupo evadiu da unidade prisional já iniciou.

Por fim, a Seciju informou que uma equipe de agentes da Diretoria de Administração do Sistema Penitenciário, de Palmas, já se deslocou para Araguaína para ajudar nas buscas. As buscas estão sendo realizadas por agentes penitenciários e o serviço de inteligência da secretaria com o apoio da Polícia Militar (PM).

Fugitivos 

A Seciju divulgou o nome dos oito fugitivos: Leandro Araújo Cardoso, Fernando Oliveira Silva e Cornélio Alves Santana Filho presos por roubo; Luiz Dias Reis e Kelby Ribeiro Gonçalves que estavam detidos por tráfico de drogas; Eduardo Cardoso Rocha presos por apropriação indébita. Além de um suspeito de tentativa de homicídio e de outro de homicídio, respectivamente, Paulo Henrique de Sousa Silva e Luiz Carlos Oliveira Ferro Júnior.

Cariri

Já no Centro de Ressocialização Social Luz do Amanhã (CRSLA), em Cariri do Tocantins, a 257 km de Palmas, um detento simulou estar doente e tentou fugir na noite de ontem. Ao chegar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Gurupi, Sul do Estado. Segundo a Seciju, dois agentes penitenciários que o acompanhavam conseguiram evitar a fuga.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.