IMG_20150806_112813351

No começo da noite desta sexta-feira, 7, o Comando Local da greve dos servidores do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia (IFTO), campus Araguatins, divulgaram uma carta aberta à população, explicando os motivos do protesto.

Leia a carta

IFTO e as razões da greve. Carta aberta à sociedade

Os servidores do IFTO do campus Araguatins estão em greve. Por que isso ocorre?

Nossa grande luta é em defesa da Educação, que pensamos funcionar melhor como pública, gratuita e de qualidade, caso contrário, os mais pobres, a maioria da população, não terá acesso, confirmando mais uma exclusão. Somos contra. Devemos fortalecer as carreiras para continuar atrair os melhores profissionais.

As barreiras a esse projeto de educação pública de qualidade para todos são muitas, tendo início no governo federal, quando não garante as melhores condições de trabalho, subtraindo, portanto, esse benefício à sociedade.

O que o IFTO oferece? Oferecemos elementos fundamentais para o desenvolvimento regional, esse é o nosso compromisso como representantes do poder federal. Formamos o capital humano através de diversos cursos em vários níveis, entre técnicos, bacharelado e licenciaturas. Representamos, diretamente, uma grande demanda direta ao gastar nosso orçamento na própria região, mas que infelizmente está sendo subtraído, o tão falado “corte da verba da educação”. Mas também somos polo aglutinador econômico, concentrando toda uma estrutura dinâmica em Araguatins e região.

Nossa importância a médio longo prazo está clara, enriquecer os filhos da região, nossos estudantes, de capital humano, através da melhor formação educacional possível. Em curto prazo, devemos salvar nosso orçamento dos cortes, pois já estamos funcionando abaixo de 60% de verbas previstas.

Essa causa é de todos, porque é um valioso benefício da sociedade que está sendo negado.

COMANDO LOCAL DE GREVE
SERVIDORES DO IFTO/Campus Araguatins

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.