download (1)Desvio de recursos da creche, atraso do funcionalismo, não repasse ao INSS, shows pagos e não realizados, estes foram alguns pontos mostrados pela prefeita, Rúbia Amorim (PSB), em resposta as declarações do ex-prefeito, Alvimar Cayres, o Mazin (PTB), que qualificou a gestora de imprestável.

Rúbia lamentou a colocação do ex-prefeito, considerou grosseiro o termo usado por Mazin, mas disse que o ex-gestor esqueceu de fazer menção sobre sua passagem como administrador de Buriti. “Hoje inelegível, devido a processos oriundos da má administração, como o não repasse do INSS durante sua gestão, o não pagamento dos servidores do mês de dezembro de 2012, além de outros direitos trabalhistas que foram negados a servidores, shows que não foram realizados, mas que o recurso veio e não se sabe em que lugar foi parar, e um dos mais absurdos de todos: desvio de dinheiro comprovado da creche, com metade do recurso comprometido, deixando a obra parada, impossibilitando o município de terminar a construção, deixando também muitas crianças sem uma escola adequada. Devido a estas e outras situações o município encontra-se impedido de realizar qualquer novo convênio com o FNDE e outros órgãos federais”, disse a prefeita.

A gestora também lembrou que Mazin deixou o município de Buriti, inserido no Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (CAUC) por causa de inadimplência gerada pelo descaso em sua gestão. “Isso sim é ser imprestável, pensando apenas em seu interesse pessoal e deixando toda uma população comprometida”, finalizou a gestora.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.