Segundo a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, os concursos estão em fase de conclusão de editais de licitação, entre eles o da Adepará
Segundo a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, os concursos estão em fase de conclusão de editais de licitação, entre eles o da Adepará

O Governo do Estado do Pará vai oferecer cerca de 10 mil vagas em concursos públicos para 40% dos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta. São 25 concursos de nível médio e superior com salários que variam de R$ 815 a R$ 3.247. A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) está inclusa nesse grupo, com 147 vagas que serão ofertadas pra todo o Estado. Ou seja, as vagas devem atingir todas as regionais.

Gerente de Recursos Humanos na Adepará, Margareth Araújo, avisa aos interessados em fazer o concurso público que, mesmo antes da publicação do edital, é preciso já tomar uma atitude: “Estude e estude bastante. O concurso é uma realidade e ele vem para a formação de equipes no órgão”. “A Adepará vem adotando as providências necessárias, junto com a Sead (Secretaria de Administração), para a realização do concurso”, completou a gerente.

Das 147 vagas ofertadas, 130 são destinadas ao cargo de agente de fiscalização estadual (AFA), que tem a obrigatoriedade do 2° grau completo como técnico agrícola. Serão quatro vagas para assistente administrativo, uma para analista de informática e 12 para fiscal estadual agropecuário (FEA) (11 para médico veterinário e uma para engenheiro agrônomo).

De acordo com a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, os concursos estão em fase de conclusão de editais de licitação. Os novos certames vão garantir o cumprimento de Termos de Ajustes de Conduta (TAC) assinados pelo Governo. Não há data confirmada ainda para a publicação do edital, que deve acontecer somente no primeiro semestre do ano que vem. (Com informações de Tylon Maués)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.