Tetê Santos, do CredCidadão, disse que o programa contribui para que as pessoas que não tiveram oportunidade de trabalho iniciem o próprio negócio
Tetê Santos, do CredCidadão, disse que o programa contribui para que as pessoas que não tiveram oportunidade de trabalho iniciem o próprio negócio

O Credcidadão liberou nesta sexta-feira (28) R$ 81,9 mil em microcrédito para 39 famílias de Soure, na ilha do Marajó. O Banco do Estado do Pará (Banpará) atuará como agente financeiro e, brevemente, inaugurará uma agência no município.

A gerente de polo do Credcidadão no Marajó, Ana Félix, explicou sobre os detalhes dos contratos firmados com microempreendedores e sobre a importância da pontualidade dos pagamentos das parcelas do empréstimo para a manutenção do crédito. “É um momento de muita satisfação, de dever cumprido. Há quatro meses estamos numa luta árdua no Credcidadão para poder chegar a esse momento. Soure é a última cidade do Marajó a receber”, disse.

Ana Félix reforçou ainda sobre o destino do empréstimo, que não pode ser usado para outro tipo de investimento. “Este dinheiro é para movimentar o negócio de vocês. Não vão poder investir em outra coisa, porque o recurso é para que possam crescer no seu próprio negócio”, frisou. “Se cada um honrar com o que foi proposto, vocês vão se desenvolver, e o município também vai se desenvolver”, continuou.

A presidente da associação dos batedores de açaí, Ariane Conceição, disse estar satisfeita com a oportunidade dada aos beneficiados. “Acredito que esta vai ser mais uma melhoria para o nosso sucesso, especialmente agora que estamos fornecendo o nosso açaí para merenda escolar. Isso vai ser uma ajuda de custo muito grande para que possamos continuar o trabalho neste e, provavelmente, nos outros anos”, disse.

O secretário de transportes da cidade, Fernando Tobias, falou da importância do incentivo para o município em meio à crise atual que o país atravessa. “Hoje o país vive uma crise, e para conseguir ter acesso ao crédito é preciso haver recurso. O crédito só é dado para pessoas que têm condições de dar um bem como garantia, e a maioria da população não tem. Então este incentivo do governo é muito bom”, assinalou.

A gerente do Credcidadão, Tete Santos, falou da satisfação em poder levar o microcrédito para o Marajó. Ela ressaltou que o programa tem como missão contribuir para que as pessoas que não tiveram oportunidade de trabalho possam iniciar o próprio negócio.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.