image

Um grupo de alunos do Colégio Militar, em Palmas, se reuniu na manhã desta quarta-feira, 12, em frente à escola para manifestar apoio a paralisação dos professores. Com cartazes e carro de som, eles protestaram contra liminar requerida pelo governo do Estado, em que o desembargador do Tribunal de Justiça do Estado (TJ) Marco Villas Boas determinou a volta imediata das atividades.

Para o representante do movimento estudantil Vildeson Ferreira, 17 anos, estudante do 3º ano da escola, os professores devem continuar a paralisação. “Mesmo reconhecendo que a greve é prejudicial para os alunos, apoiamos o direito dos professores em reivindicarem melhorias para a categoria. Deputados, senadores e muitos outros reivindicam e para eles acontecem melhorias e porque não para nossos mestres, que nos ajuda formar? ”, questionou. Professores que acompanharam o movimento, não quiseram se manifestar.

Na manhã desta quarta-feira,  somente na Escola Frederico Pedreira, as aulas começaram a ser retomadas. Segundo a diretora da unidade, Aurora Mazarello, apenas alunos de três turmas do ensino médio compareceram à escola. “Como só veio uma professora, fizemos uma aulão e liberamos os alunos”, disse.

Aurora contou que os professores da escola já foram convocados para retomar as atividades e que a partir de amanhã quem não comparecer terá o ponto cortado. “ Recebemos memorando da Secretaria Estadual da Educação (Seduc) informando que devemos voltar as atividades imediatamente. Vamos estar aqui nos três turnos para atender os alunos”, disse. (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.