O homem que teve mais de 60% do corpo queimado após ser espancado e incendiado, não resistiu aos ferimentos e morreu nesta segunda-feira (10). O crime aconteceu no dia 27 de julho em Gurupi, região sul do Tocantins. A vítima, Geovane Silva Sampaio, de 40 anos, ficou gravemente ferida e foi internada no Hospital Regional de Gurupi. Dois dias depois, Sampaio foi transferido para um hospital especializado no Pará.

A suspeita, Jaqueline Alves Botelho, de 23 anos, foi presa no mesmo dia do crime pela Polícia Civil. Ela foi autuada por tentativa de homicídio e encaminhada para a cadeia feminina de Brejinho de Nazaré. Segundo a PC, as investigações sobre o caso continuam para esclarecer se houve participação de outras pessoas no crime.

Ainda de acordo com as informações, a suspeita teria se aproveitado do momento em que a vítima estava desacordada, após ter ingerido bebida alcoólica, e ateou fogo no corpo dela. Sampaio sofreu queimaduras de 3º grau. A polícia ainda investiga o motivo do crime.

O corpo do homem foi velado nesta terça-feira (11) na casa de parentes, no setor Vila Íris, em Gurupi, e enterrado no cemitério São José.

O crime

A vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel (Samu) no dia 27 de julho, às 3h15 no quintal de uma casa, no setor Nova Fronteira, em Gurupi. Sampaio apresentava sinais de agressão física, lesão por perfuração e queimaduras de 3º grau. A perícia concluiu que ele foi espancado e teve mais da metade do corpo incendiada, inclusive parte do rosto.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.