Subiu para oito o número de indiciados pelo homicídio de Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, espancado até a morte após tentar assaltar um bar no bairro São Cristóvão, em São Luís, no dia 6 de julho. O delegado Guilherme de Sousa Filho, responsável pelo caso, disse ao G1 que depoimentos de testemunhas e de outros sete indiciados, além da análise dos vídeos, levaram ao oitavo participante. O inquérito foi concluído nesta sexta-feira (7).

O titular da Delegacia de Homicídios de São Luís esclareceu que o caso não é mais tratado como linchamento e sim como homicídio qualificado. Ele afirma que o grupo também responderá pela tentativa de homicídio do adolescente de 16 anos que estava com Cledenilson no momento do crime.

“Nós não podemos mais considerar linchamento porque foram oito pessoas que participaram da execução e até pelas lesões, que foram uma na parte frontal, uma no osso externo entre o coração e o pulmão, que foi a que causou a morte, e uma na parte posterior do antebraço”, contou.

Segundo o delegado, os suspeitos chegaram a negar envolvimento no crime, mas foram confrontados pelos depoimentos das testemunhas e pelo imagens registradas por populares durante a ação.

“Inicialmente eles negaram, mas depois colaboraram. Ainda iremos analisar para saber se há necessidade de prendâ-los ou não. Eles responderão por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, sem oferecer a mínima chance de defesa à vítima, com uso de meios crueis”, explicou.

O oitavo envolvido é motorista de uma empresa de ônibus que realiza excusões pelo país e está fora do Estado no momento. O homem já foi localizado por telefone e concedeu informações à Polícia Civil.
Guilherme de Sousa Filho informou que os nomes deverão ser divulgados após despacho em cartório do recebimento do inquérito na Justiça, em uma possível entrevista coletiva a ser organizada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA).

Homicídio

Cledenilson Pereira da Silva, 29, foi encontrado morto no dia 6 de julho, despido e amarrado a um poste em uma rua do São Cristóvão, em São Luís, considerado o sexto bairro mais violento da Região Metropolitana, segundo dados do Ministério Público do Maranhão.

Ele foi espancado e ferido com uma garrafa e uma faca até a morte, na presença de populares, após tentar assaltar um bar na companhia de um adolescente de 16 anos, que também foi agredido e amarrado com uma corda.

Segundo testemunhas, os dois entraram no bar e anunciaram o assalto, mas acabaram surpreendidos pela reação dos clientes, que conseguiram dominá-los.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.