paulo lemos

Nesta quarta-feira, 3, o ex-presidente do PRB, Paulo Lemos, que pleiteava disputa a Prefeitura Municipal de Buriti do Tocantins e teve seu projeto barrado pelo deputado federal, César Halum, que comanda a legenda no estado, divulgou uma Carta à população, agradecendo e explicando a situação interna que levou a desistência do pleito.

Leia o documento:

Carta Aberta à População de Buriti

Prezada população buritinense, como é do conhecimento de muitos dos senhores e senhoras, coloquei meu nome como pré-candidato à prefeitura de nossa cidade por acreditar que é possível fazer uma campanha honesta e gastando dentro dos limites máximos estabelecidos por lei. Confesso que fiquei muito entusiasmado com a ideia e, principalmente, pela forma como ela foi aceita por uma boa parte da população que tomou conhecimento de minha pré-candidatura. Creio ser de extrema importância uma reflexão aberta a todos sobre as razões que levaram a não concretização de minha candidatura.

A princípio destaco que como membro filiado ao PRB e presidente do diretório municipal, após ter ouvido os filiados do partido e conversado com algumas lideranças decidi lançar meu nome como pré-candidato e solicitei, junto à executiva estadual, verbalmente, apenas, que me fosse possível dar prosseguimento ao projeto, sendo que a devolutiva foi de que “o partido estava dividido” e que seria feita uma pesquisa para saber das reais condições de eleição, o que não houve e/ou se houve, não me foi repassado. Não solicitei da executiva estadual nenhum valor monetário para “tocar” a campanha. Não apresentei meu nome para ganhar dinheiro com “barganhas eleitoreiras” que só estragam o processo político e jamais passou pela cabeça do grupo que me apoia o fato de vender minha candidatura ou aluga-la a outro pretenso candidato – não trabalhamos política dessa forma.

Nesse contexto, nossa pré-candidatura ganhou “corpo” e comecei a incomodar quando apareci nas pesquisas como uma nova oportunidade para os que não desejam mais permanecer na situação atual e muito menos voltar ao grupo que representa o antigo regime político que por décadas governou nosso município, mas, que, porém, deixou mais marcas de feridas do que de benesses para a sociedade. Com a aparição de meu nome em situação ascendente nas pesquisas e não havendo forma de me transformar em mercadoria para fazer “negócio”, a forma encontrada foi utilizar as velhas manobras políticas que, avisado de antemão, seriam usadas. Me tomaram a presidência do partido, impossibilitando minha candidatura e levando, a legenda a coligar com outro grupo político, forçando assim, o adiamento do nosso projeto por no mínimo mais quatro anos. Já tenho uma nova legenda partidária em negociação que não possui um “dono”, que preza pelos regimes estatutários que a regem e pretende acabar com o coronelismo ainda existente na “velha política”. Nós sabemos o que fazer e como fazer e isso causa temor em todos aqueles que acham que só é possível ganhar uma eleição gastando altas somas de dinheiro e negociando com o futuro da população que dizem amar.

Ficam claros, portanto, que nossa candidatura não aconteceu de fato por que novamente as “forças ocultas” de que falou Getúlio Vargas juntaram-se para nos tolhi de um direito Constitucional que é o de “votar e ser votado”. Nessa eleição não serei votado, mas votarei e não será em nenhuma coligação alinhada com um partido que não honra seus filiados.
Finalizando, caros buritienses, reitero o meu desejo de ser prefeito de nossa cidade e firmo meu compromisso de continuar batalhando por uma cidade melhor para o seu povo, onde a maioria tenha acesso àquilo que lhe é de direito e não apenas alguns poucos apaniguados pois, acredito ser bem melhor “ascender uma luz do que praguejar contra a escuridão”.

PAULO LEMOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.