Missão visa vivenciar práticas diárias de manutenção e abastecimento dos biodigestores, o que contribuirá com o aumento no conhecimento e confiança nessa nova tecnologia.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) realiza, desta quarta a sexta-feira, 16 a 18, uma missão técnica aos sistemas de biodigestão recém-instalados em Darcinópolis e em Palmeiras do Tocantins, este último pioneiro no Estado. A ação faz parte do convênio entre a Seagro e o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) nº 806634/2014, que tem como objetivo incentivar a utilização de biodigestores no Tocantins.

De acordo com o gerente de Agroenergia e Florestas da Seagro, Carlos Manuel Carvalho Carreira, o sistema instalado na Fazenda Bom Tempo, em Darcinópolis, é composto por oito biodigestores, que tem capacidade para o tratamento de dejetos de cerca de 300 mil aves distribuídas em dez galpões. “Todo o biogás gerado por este complexo abastece dois geradores de energia que tornaram a propriedade autossuficiente em energia elétrica”, explicou Carlos Manuel.

O sistema instalado em Palmeiras foi o primeiro deste tipo no Estado, e o pioneiro no país em tratamento de dejetos de aves, conhecido como “cama de frango”.

O gerente ressalta que, além da geração da energia necessária para manter toda a atividade pecuária da empresa, os benefícios ambientais foram ainda maiores como, a eliminação da emissão do gás metano, altamente nocivo à atmosfera que contribui sobremaneira para o aquecimento global. “Sem contar que o sistema evita a contaminação do solo e da água por meio do lançamento direto dos dejetos”, enumera Carlos Carreira.

Pioneirismo

O sistema instalado na Fazenda Pedra Furada, no município de Palmeiras do Tocantins, foi o primeiro deste tipo no Estado, e o pioneiro no país em tratamento de dejetos de aves, popularmente conhecido como “cama de frango”, e acreditavam ser difícil, devido à densidade do material. “O sucesso dessa experiência motivou o produtor Edson Negreiros, da granja de Darcinópolis, a implantar seu sistema em escala bem maior e vêm motivando outros avicultores no Estado”, garante o gerente da Seagro.

Missão

Carlos Carreira explica que por meio dessa missão, os técnicos da Seagro terão a possibilidade de vivenciar práticas diárias de manutenção e abastecimento dos biodigestores, o que contribuirá com o aumento no conhecimento e confiança nessa nova tecnologia. “Também serão feitas coletas de dados e análises de qualidade nos plantios agrícolas da propriedade irrigados com o biofertilizante. Posteriormente, tais informações colhidas formarão uma base de dados confiáveis que servirão para nortear os futuros pecuaristas interessados na adoção dessa nova tecnologia em suas propriedades”, completa.

Domínio da tecnologia

O gerente da Seagro diz que os estados da Região Sul do Brasil já detêm amplo domínio desta tecnologia de tratamento de dejeto e uma vasta experiência no aproveitamento de biogás para geração de energia e também do biofertilizante, utilizado nas lavouras e pastagens como adubo totalmente orgânico. “Diante deste contexto, a Secretaria da Agricultura, na pessoa do secretário Clemente Barros, não mede esforços na execução de ações que possam trazer aos pecuaristas tocantinenses o convívio com essa tecnologia, que trará ganhos ambientais e geração de renda, melhorando a vida no campo”, frisa Carlos Carreira. (Lenna Borges)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.