caminhoes2

Os caminhoneiros que bloqueavam o tráfego na rodovia BR-230, a Transamazônica, liberaram o trânsito na via por volta de 11h30 desta terça-feira (29). O trecho da estrada perto de Itaituba havia sido fechado na última quinta (24), quando os motoristas protestaram contra a interdição do acesso ao terminal de grãos de Miritituba por um grupo de sem-teto.

Os caminhoneiros alegavam que, com o protesto dos sem-teto, não conseguem escoar sua carga. Ceca de 500 caminhões chegaram a ficar parados na rodovia e no pátio de cargas das empresas que operam no terminal.

De acordo com a PRF, o acesso ao porto do terminal de grãos de Miritituba foi reestabelecido após negociação entre os manifestantes e o poder judiciário, em cumprimento de ordem judicial que determinava a liberação da rodovia.

Protesto dos sem-teto

Os sem-teto que impedem o acesso dos caminhões aos portos reivindicam a documentação e posse de uma área que teria sido doada para pessoas desabrigadas após um deslizamento de terras no distrito de Miritituba.

O terreno, que seria de propriedade particular, teria sido doado aos desabrigados por empresários. Dentro desse grupo de empresários, teriam as empresas que instalaram os portos e empresários da região que se comoveram com a situação dos desabrigados.

Nesse terreno teria um pedaço de terra de um empresário, mais outra parte das terras de uma empresa, sendo que a área que era privada teria sido cedida como contrapartida pelos investimentos na região.

Parte das famílias construíram suas casas, mas outra parte que ainda não tinha tomado posse do terreno, cerca de 350 famílias, não estaria conseguindo se alojar devido fazendeiros estarem ocupando as terras cedidas.

A prefeitura municipal afirma que se trata de um terreno particular e não pode interferir nas negociações. Os empresários que se dizem donos das terras não aparecem para negociar com os manifestantes e nessa situação não há previsão de um acordo com os sem-teto e, consequentemente, com os caminhoneiros.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.