A Universidade do Estado do Pará (Uepa) em Marabá, Altamira, Castanhal e Santarém agora dispõe de conexão com internet por meio de fibra óptica. O resultado é uma navegação mais rápida, por exemplo, com suporte suficiente para realizar videoconferências e aulas à distância. Com a nova infraestrutura implantada pelo projeto das Redes Metropolitanas no Interior do Estado, a conexão atual supera os 60 Mbps nos campi da Uepa. A Reitoria é provedora dos acessos via Rede MetroBel.

Antes a internet nos campi era utilizada apenas com tecnologia via rádio, viabilizada pelo Navega Pará, e gerenciada pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa). A partir da conexão de fibra óptica, professores e alunos já sentem a diferença. “A principal mudança foi a satisfação dos alunos. Alguns vieram agradecer porque melhorou a internet. Antes não conseguíamos fazer download de programas específicos para dar aula e agora conseguimos. Temos velocidade para fazer pesquisas, inclusive durante as aulas”, ressalta o coordenador do campus Castanhal, professor Anderson Costa.

Em Marabá, o coordenador do campus, professor Airton dos Reis Pereira, destaca que com a biblioteca toda informatizada e internet Wifi, os alunos podem acessar o acervo bibliográfico dos computadores ou smartphones. “Colocamos quatro pontos de internet sem fio e esperamos ampliar para os outros blocos. Temos internet sem fio de melhor qualidade para os funcionários, professores e alunos”, enfatiza o coordenador.

O Diretor de Serviços de Processamento de Dados (DSPD), Ítalo Di Paolo, pontua que a qualidade da internet via rádio depende das condições de tempo, alinhamento de antenas e ruídos que podem atrapalhar a conexão, além da largura de banda que é bastante limitada, sendo a tecnologia em fibra óptica extremamente superior em qualidade de serviço, marcam uma nova era para estes campi. “Claro que investimentos internos em pessoal qualificado e infraestrutura adequada serão necessários para potencializar este recurso, pois estamos saindo de 1 a 4 Mbps para mais de 80 Mbps, podendo chegar perto de Gbps numa estrutura compartilhada com instituições estaduais e federais, que também exigirá esforços de gestão para manutenção”, diz.

A conexão que utiliza fibra óptica nas instituições de pesquisa e educação do Pará faz parte do projeto Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que tem como objetivo implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país.

Através da parceria entre RNP, Governo Federal, Governo do Estado e PRODEPA, cinco anéis de fibra óptica já se encontram instalados e operando no Estado do Pará (Belém, Altamira, Castanhal, Marabá e Santarém), tendo a Uepa presente em todos. A conexão é constituída por dezenas de pares de fibra. Todos eles convergem a Reitoria da Universidade, sendo gerenciado pela Diretoria do Serviço de Processamento de Dados. (Renata Paes)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.