destaque-343660-cin

A novela envolvendo Joelma e Cledivan Farias, o Chimbinha, casal da banda Calypso, está bem longe de um capítulo final. A cada dia, há uma nova reviravolta no caso da dupla. Após supostamente ter feito ameaças a Joelma, Chimbinha agora está proibido de se aproximar da vocalista, por determinação judicial, concedida, ontem, pela juíza Caroline Slongo Assad, que responde pela 4ª Vara de Violência Doméstica Contra a Mulher de Ananindeua. O guitarrista deve manter, no mínimo, a distância de 100 metros da cantora.

Sendo assim, o músico está proibido de participar dos próximos shows da banda Calypso. A juíza acatou o pedido de medida protetiva solicitada pela cantora, após esta afirmar, em depoimento à polícia, na última quarta-feira (09), que estaria sofrendo ameaças.

Opiniões

Os advogados de ambas as partes compareceram ao Fórum de Ananindeua, sem seus clientes. Para Patrícia Bahia, que defende Joelma, a medida foi necessária em função do depoimento prestado na Delegacia de Polícia do Jaderlândia.

“A juíza foi bem clara e justificou que esta medida foi para garantir a própria integridade física e psicológica da ofendida (Joelma)”, disse Patrícia Bahia. A advogada ainda garantiu que a banda Calypso cumprirá a agenda de shows, mas com um guitarrista substituto.

Já para o advogado de Chimbinha, Luciel Caxiado, a decisão não foi encarada com surpresa pelo músico. No entanto, segundo ele, a medida protetiva é desnecessária, pois, antes mesmo da decisão, o músico já teria se ausentado duas vezes de shows, por estar sofrendo agressões de fãs.

“Em um show, salvo engano em Brasília, a Joelma começou a incitar os fãs contra o Chimbinha, dizendo que ele a teria traído e apontado o dedo”, diz o advogado.

Caxiado alega, ainda, que a fala do seu cliente foi mal interpretada por causa disso. “Em uma dessas ocasiões, ele disse que era para ela acabar com isso, porque ia acabar em morte. E que ele estaria correndo perigo de vida com os fãs que são incitados”, disse Caxiado. Ele declarou também que o guitarrista vai acatar a decisão judicial, mas que deverá entrar com um recurso ainda a ser estudado.

Delegacia

Na tarde da última quarta-feira (9), Joelma passou 4 horas prestando depoimento na Delegacia do Jaderlândia. Ela estava acompanhada de três pessoas: sua advogada e duas funcionárias, Cyntia Tavares e Milene Santos, que também foram ouvidas pela delegada Rosalina Arraes. À polícia, Joelma reafirmou que decidiu se separar após descobrir que tinha sido traída por Chimbinha.

Em seu depoimento, ela disse que Chimbinha não aceita a separação e a persegue, ligando todos os dias. A cantora afirmou, ainda, que se sente ameaçada em sua integridade física e moral e que “Chimbinha tem histórico de violência”. Ela declarou à polícia que achou melhor sair da casa em que eles viviam, no condomínio de luxo Lago Azul, em Ananindeua.

Já na quinta-feira (10), o inquérito policial instaurado para apurar a denúncia feita por Joelma, foi repassado à delegada Daniela Santos, diretora da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), que está investigando o caso. (Emily Beckman/Diário do Pará)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.