AAA_0233

Autora do requerimento que originou a sessão solene, nesta quarta-feira, 30, em comemoração aos 27 anos do Tocantins, a deputada estadual Luana Ribeiro (PR) acredita que a história deve ser reverenciada para que as futuras gerações possam fazer uma nova trajetória. Segundo ela, no momento em que o país passa por uma crise ética, econômica e política é hora de refletir. “Devemos  repensar o que fizemos até aqui: onde acertamos, onde erramos e para onde queremos seguir. Pelo momento em que vivemos, devemos retomar o sonho que motivou o nascimento do Tocantins e a nossa vinda para cá, no sentido de transformar nosso Estado na vanguarda do desenvolvimento nacional”, afirmou.

A parlamentar também citou que o pioneirismo do Tocantins seja exemplo de superação. “Que os bons exemplos do passado nos inspirem para estarmos à altura dos desafios do nosso tempo”, disse.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Osires Damaso (DEM), lembrou a trajetória do Estado desde a sua origem. “Hoje temos universidades, hospitais, coisas que só víamos em Goiânia, a 850 Km”, lembrou. “A história nos inspira a manter a determinação, a garra e a vontade para termos um povo sábio, sadio e feliz”, enfatizou.

Homenagens

Foram homenageados todos os ex-governadores do Estado. Compareceram pessoalmente Moisés Avelino e Raimundo Pires, o “Boi”. Enviaram representantes os ex-governadores Carlos Gaguim, Sandoval Cardoso e José Wilson Siqueira Campos. Eles foram representados, respectivamente, por Rose Amorim, Manoel Silvino e Raimundo Parrião Júnior. Além do voto de louvor, eles receberam uma maquete do Palácio Araguaia, pelos serviços prestados ao Tocantins, à frente do Governo do Estado.

Discursos

Os discursos dos homenageados também abordaram a atual situação econômica do Brasil e do Tocantins. O primeiro a tocar no assunto foi o ex-governador Moisés Avelino. “Vivemos um momento difícil no Brasil, e os que mais sofrem são os mais pobres”, afirmou. Em seguida, Avelino disse que falta civismo e envolvimento da população nas questões políticas. “O civismo acabou. Não sabemos nem cantar os hinos da pátria. Acabou o patriotismo. Só temos interesses”. Ao finalizar em tom otimista, ele disse que a mudança é possível e que ainda restam “pessoas de valor”.

Entre os convidados, também discursou a vice-governadora Claudia Lelis (PV), que no ato representou o governador Marcelo Miranda (PMDB). Claudia pregou a união como forma de superar a crise, um dia depois de a Assembleia aprovar um impopular pacote de aumento de impostos. “Estamos passando por um período de travessia. O momento exige coragem. O remédio é amargo, mas o Governo do Estado, unido aos segmentos da sociedade, pode vencer a crise. Que as nossas divergências encontrem no diálogo a sinergia necessária para fazer do Tocantins um janela de oportunidade”, disse Claudia. (Com informações Ascom/AL – texto Glauber Barros)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.