As práticas agroecológicas serão o tema de uma série de reuniões promovidas pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) entre os dias 15 e 30 de setembro, com os agricultores familiares beneficiados pela Chamada Pública em Agroecologia, na região do Bico do Papagaio.

De acordo com a engenheira agrônoma, Geane Rodrigues, os encontros têm como objetivo explicar quais atividades serão desenvolvidas, as técnicas aplicadas, tempo de duração, e ainda pré-selecionar os interessados em participar do processo. “A Chamada Pública é uma forma de prestar Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) utilizando como base os princípios sustentáveis de produção agrícola. Sendo que a prestação desse serviço deve respeitar a diversidade e a particularidade de cada produtor”, frisou.

A Chamada Pública irá contemplar 11 municípios no Bico do Papagaio, sedo eles Araguatins, Axixá, Augustinópolis, Augustinópolis, Buriti do Tocantins, Carrasco Bonito, Esperantina, Praia Norte e Sampaio

Conforme o engenheiro agrônomo Rafael Alencar, após a etapa de mobilização e seleção dos agricultores, entra a fase de acompanhamento técnico nas propriedades e o desenvolvimento de diversas atividades, como oficinas, visitas técnicas, dias de campo, dentre outras. “Os serviços de assistência técnica e extensão rural serão oferecidos durante três anos aos produtores selecionados. Depois disso, cada produtor terá condições de aplicar, sozinho, as técnicas ensinadas pelos extensionistas”, concluiu.

Chamada Pública

A Chamada Pública em Agroecologia tem como objetivo prestar Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), aos agricultores/as familiares; consolidar e ampliar processos de promoção da agroecologia existentes, focados no desenvolvimento local e territorial, assim como seus processos organizativos, considerando seus diferentes processos de transição e as diretrizes da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo).

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.