DSC_0557

Com estimativa populacional de 23.141 mil habitantes, Tocantinópolis vem se destacando por ser uma cidade cada vez mais propícia para se investir. A exemplo disso, o município recebeu nesta segunda-feira 21, uma comissão formada por técnicos integrantes da Queiroz Cavalcanti Advocacia, da cidade de Recife-PE, onde na oportunidade realizaram vistoria numa área que compreende a 2 hectares da cidade.

A visita técnica-ambiental contou com a presença do secretário executivo de Assuntos Ecológicos e Articular do Selo UNICEF, Emivaldo Aguiar e representantes da assessoria jurídica ambiental da Queiroz Cavalcanti Advocacia, Beatriz Menezes, João Pedro Frazão e Aldemir Barros.

O grupo empresarial jurídico ambiental que avaliou a área a ser comprada é o maior escritório de advocacia do Norte-Nordeste e o 5º maior do Brasil, o qual possui escritório nos Estados de Pernambuco, Bahia, Paraíba, Ceará e Maranhão. O trabalho de vistoria prevê para fins da realização de análise ambiental jurídico em prol de uma construtora que pretende adquirir um imóvel de propriedade particular numa área localizada no município.

A empresa contratante pretende realizar construção predial e/ou implantação de empresas de grande porte no local, e para a execução da vistoria foram solicitadas várias leis de proteção ambiental do município, bem como mapeamento das áreas de proteção ambiental, além da verificação de árvores nativas que compõem a localidade. O objetivo do pedido refere-se à realização de estudos técnicos para posteriormente dar-se início aos trabalhos de construção na área vistoriada.

“O relatório que tratará da área privada inserida no município de Tocantinópolis, tem por objetivo avaliar as condições atuais do referido local, tanto no que se refere às eventuais restrições urbanísticas trazidas pela legislação, quanto no tocante às diretrizes e limitações do uso e gozo do meio ambiente natural propriamente dito, para que no final, se possam avaliar os riscos ambientais advindos do processo de compra da Gleba, subsidiando, assim, o processo de compra e venda do imóvel particular”, destacou a advogada, Beatriz Menezes.

Por ser uma área onde há sinais de existência de preservação ambiental, pois fica próxima ao Córrego Lajinha, deverá ser feito no local diversos levantamentos em relação ao meio ambiente, aspectos urbanísticos à proteção ambiental e manejo das áreas protegidas. Após a vistoria, os representantes da QCA irão emitir um relatório detalhado do projeto, com levantamentos técnicos, as coordenadas de toda a área, incluindo o zoneamento de APP e cursos de água presentes ou próximos ao local para fins de descobrimento de restrições ou proibições urbanísticas ou ambientais.

Com este possível investimento a ser viabilizado em Tocantinópolis, o qual representa 10,3% da população dos municípios biquenses, passará a ter uma empresa de porte imobiliário ou industrial no município. (Dirceu Leno)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.