img-20160926-wa0295

Do início de abril até agora, o Rio Tocantins vem sofrendo e muito em relação ao nível de sua vazão. Nessa segunda-feira (26), o coeficiente de água chegou a um dos pontos mais críticos já visto na história de Tocantinópolis.

Em alguns trechos do leito, é possível ver grandes bancos de areia e pedrais ao longo de sua extensão. Segundo informações do Consócio Estreito Energia (CESTE), a vazão do Rio Tocantins é em decorrência da geração de energia, ou seja, foi alterada para gerar mais energia, conforme pedido. Dessa forma, o nível normal deverá voltar assim que as chuvas intensificarem no Estado.

14446076_1799634433592633_7160264465671280888_n

Um dos fatores que contribuem para esta triste realidade, além da seca e a falta de chuva, é a Hidrelétrica de Estreito-MA, que desde que fora construída e entrado em funcionamento, o nível do Rio Tocantins vem oscilando periodicamente. Esse é um dos fatores que acrescenta em muito para o quadro deplorável e preocupante do qual se encontra o Rio Tocantins.

Por esta razão inúmeros barcos e canoas amanheceram totalmente no seco, na manhã desta segunda-feira. Segundo relatos dos pescadores, desde que a Hidrelétrica de Estreito passou a funcionar, suas rotinas mudaram significativamente, pois até a falta de peixes já vem sendo observadas na região.

Outros que tiveram os dia a dia alterados são os barqueiros que fazem a travessia de veículos e passageiros. “O trajeto teve que ser mudado devido o nível do Rio estar abaixo das expectativas para esse período”, relatou um dos barqueiros destacando que os cuidados vem sendo redobrados, pois as embarcações tem que passar numa área bastante estreita para não bater nas pedras. (Dirceu Leno)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.