IMG-20151022-WA0452
secretário estadual de Segurança Pública, Cesar Simoni e vereadores durante reunião nesta quinta

Na tarde desta quinta-feira, 22, o secretário estadual de Segurança Pública, Cesar Simoni, garantiu aos vereadores Jairo Ribeiro (PV) e Darlan Pernambuco (PR), que resolverá nas próximas semanas o problema da falta de plantão policial da Delegacia de Araguatins.

Os parlamentares araguatinenses foram recebidos em audiência e protocolaram dois requerimentos. Um pede explicações sobre os motivos da retirada dos plantões e o outro pede o retorno o funcionamento normal dos plantões.

Também participou da audiência o delegado geral da Polícia Civil, Roger Knewitz.

Atualmente na cidade de Araguatins, sexta maior do estado com 35 mil habitantes, a Delegacia de Polícia funciona apenas em horário comercial. Qualquer caso que ocorra fora desse período é levado para Augustinópolis, cidade de apenas 17 mil habitantes, distante 32 km.

IMG-20151022-WA0450

Jairo contou ao secretário que a população tem enfrentado sérios problemas sem o atendimento policial e que também a Polícia Militar tem se queixado. “Primeiro quero parabenizar o secretário César Simoni pelo atendimento e atenção dado a nosso pleito. O secretário foi muito receptivo e atencioso. E o mais importante foi a garantia de que semana que vem, ele começará a tomar as medidas e providência para resolver o problema”, disse.

Darla Pernambuco também comemorou o resultado da reunião. “Não só a população, mas a própria PM está insatisfeita com esse processo de pegar o criminoso em Araguatins e ter de fazer uma viagem de 65 km pra ir e voltar em Augustinópolis. Isso até desestimula o trabalho. No período noturno quando tem uma viatura da PM em Augustinópolis é uma a menos fazendo a ronda ostensiva em Araguatins. Sem contar que o cidadão que precisa fazer um simples Boletim de Ocorrência tem que esperar até segunda-feira”, afirmou Darlan.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.