1444158765-447176535

As coordenações do Sindicato dos Auxiliares de Serviços Gerais (ASG) que atuam nas escolas estaduais em Imperatriz e Açailândia resolveram aderir à greve deflagrada em pela categoria em São Luís. O motivo para os servidores cruzarem os braços é o ininterrupto atraso no pagamento dos salários, isso desde janeiro de 2015.

Desde ontem, os servidores realizam protesto em frente a Unidade Regional de Educação de Imperatriz. Os funcionários estão com dois meses de salários atrasados, cerca de sete meses em receber o tíquete-alimentação, além de não terem vale-transporte.

A representante do sindicato dos ASG em Imperatriz, Maria Rita, afirma que a situação da categoria vem se agravando. “Estamos com os meses de agosto e setembro sem receber. Não temos resposta do governo do Estado e nem da empresa para nos auxiliar em relação aos nossos vencimentos”, disse.

Os servidores prestam serviço para uma empresa terceirizada contratada pelo governo do Estado. Segundo os funcionários, a empresa alega atraso no repasse dos recursos pelo governo. Em reunião com a Unidade Regional de Educação de Imperatriz, a diretora pediu o prazo de uma semana para resolver o impasse entre governo, empresa e servidores.

Em reunião com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Maranhão (Sinproesemma), ainda no mês de agosto, os ASG trataram do mesmo
assunto. Na época, eram três meses de atraso nos salários. O Sinproesemma disse que apoia a luta dos trabalhadores e vai cobrar a solução do problema. (iMirante)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.