Sem título

Nos últimos cinco anos a venda de lotes cresceu tanto em Açailândia que fez o município dobrar de tamanho, segundo as imobiliárias. E o que seria uma boa notícia, virou dor de cabeça para quem investiu. Cerca de 20% dos loteamentos não cumpriram o que foi prometido aos clientes.

De acordo com o setor de tributos da Prefeitura de Açailândia, o dono do loteamento é obrigado a disponibilizar para quem compra o lote água encanada, ruas pavimentadas e saneamento básico. Está tudo no papel. Mas, a realidade é bem diferente.

Antônio Sousa mora no Jardim Glória III. Desde que mudou para a nova casa há dois anos espera pelos benefícios prometidos no contrato. E o mais grave é que não sabe a quem recorrer. “A imobiliária que vendeu os terrenos não tem compromisso nenhum com a gente. A iluminação pública é precária. Esgoto nem se comenta. Pavimentação também é só sonho. O que aqui tem muito mesmo é abandono e gado no meio das ruas”, disse Antônio.

O aposentado Antônio Marcos da Costa é outro exemplo. Um ano após ter comprado o lote ele diz que se sente abandonado. A rua continua sem nenhuma infraestrutura. “Aqui nós não temos nada de Prefeitura e nada de nada”, desabafou.

Segundo o diretor do setor de tributos da Prefeitura de Açailândia, o município vai fiscalizar os loteamentos irregulares. E alerta a população sobre a maneira correta de comprar um lote. “Não basta ir no empreendimento e não se resguardar de ter uma certidão de registro daquele loteamento para ver se ele está devidamente aprovado”, explicou. (G1)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.