375923102015125517

Representantes da prefeitura de Canaã dos Carajás e da mineradora Vale se reuniram na sexta-feira (23) para iniciar uma discussão sobre a desmobilização do projeto mineral S11D, em implantação no município e com previsão para começar a operar no segundo semestre do ano que vem.

Participaram da discussão o vice-prefeito de Canaã dos Carajás, Alexandre Pereira, analista de sustentabilidade da Vale, Fábio Queiroga e os secretários de Planejamento, José Luiz dos Santos, de Habitação, Marcos Paulo Assis, de Desenvolvimento Econômico, Jurandir José dos Santos, de Governo, Sara Mariano, além do chefe de Gabinete, Edilson Valadares, diretora do Sine, Regiane Leite, e Ouvidor Municipal, João Nunes.

Os investimentos do projeto S11D, que é considerado o maior da história da mineradora, chegam a mais de U$ 16 bilhões e empregam, atualmente, cerca de 14 mil trabalhadores. No entanto, como se trata de um projeto de alta tecnologia, quando entrar em operação, cerca de 2,6 mil trabalhadores serão suficientes para a extração mineral.

Com isso, o grande desafio da prefeitura do município é evitar uma convulsão social com a conclusão do projeto, que gere problemas como alto desemprego, ocupações irregulares, aumento da criminalidade e favelização. Para isso, ao lado da mineradora, o poder público começa a elaborar um planejamento para atender os trabalhadores que não serão aproveitados na extração mineral. São previstos, por exemplo, o fortalecimento de ações de assistência social com benefícios eventuais (como passagens de retorno à cidade de origem) e fiscalização de ocupações irregulares.

“A Vale se preocupa com o desenvolvimento das áreas em que atua. Se ela não se preocupar, no final do ano que vem a cidade pode ficar em uma situação difícil. Por isso a importância de um planejamento nesse sentido, que quando estiver bem caracterizado vamos apresentar á sociedade”, destacou o representante da empresa, Fábio Queiroga.

O secretário de Planejamento, José Luiz dos Santos, reforçou que essa antecipação é estratégica para que o poder público possa atuar. “Nós já temos ações que ajudam a combater esses problemas, mas essa mesa redonda é fundamental”, disse.

Já o vice-prefeito, Alexandre Pereira, endossou que a atual administração tem se dedicado a promover a organização urbanística e de infraestrutura do município para que o ciclo mineral possa trazer desenvolvimento sustentável.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.