6

A Prefeitura de Tocantinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, realizou nos dias 15 e 16 de outubro, nas Escolas Municipais 7 de Setembro e Manoel de Sousa Lima, nos Povoados Passarinho e Folha Grossa, respectivamente, palestra com os moradores, tendo como objetivo a exemplificação quanto às questões ambientais, segurança alimentar, higienização relacionada à questão ambiental na área rural e a proposição de estratégias de abordagem e enfrentamento dos mesmos.

Na oportunidade, foram abordados diversos temas sobre o meio ambiente e seu uso de forma sustentável, com especial atenção para a preservação dos córregos, rios, nascentes e a vegetação do seu entorno, além da problemática do lixo. “Esses encontros realizados na zona rural do município de Tocantinópolis propõem à comunidade local à discussão em relação aos cuidados doravante das matas ciliares, dos córregos, fauna silvestre e principalmente no que concerne à comunicação entre os meios de proteção ambiental, os quais terão uma importância significativa junto à coletividade”, explicou o palestrante, Eduardo Busquests.

Outro ponto elencado durante o encontro para a comunidade do Povoado Passarinho, foi sobre os alimentos industrializados ora comercializados pela comunidade. “Hoje o processo de comunicação está atrelado a vários fatores, até mesmo no que se refere à alimentação. Ou seja, a produção de leite oriunda dos pequenos produtores rurais nem sempre é condizente aos número de famílias, daí vem a necessidade da comercialização de novos meios de alimentação e/ou produtos industrializados, como é o caso do leite de caixinha ou em lata, dentre outros. A partir dessa premissa é notório a preocupação do destino final desses materiais, para que os mesmos não sejam jogados pelas ruas e nem mesmo nas margens e nos leitos dos córregos e rios”, exemplificou Eduardo.

As nascentes e os córregos dos ribeirões que cortam a cidade de Tocantinópolis vêm enfrentando sérios problemas em relação ao assoreamento, desmatamento e poluição, que na maioria dos casos tem gerado escassez desses riachos, que com certeza são de grande importância para todos.

“É preciso urgentemente fazermos um mutirão para evitarmos que o Córrego Pira e demais outros venham a secar de vez. Eu estou pensando não somente em mim, eu estou pensando é nos meus netos e bisnetos e na comunidade como um todo, pois eles é quem serão os próximos moradores daqui. Se não fizermos nada para salvar esse córrego, daqui há alguns três a quatro anos, com certeza já não teremos mais água em nosso povoado”, disse preocupada, a moradora do Povoado Passarinho, Sueli Avelino de Oliveira.

Muitos proprietários de terras dizem que os córregos que cortam seus domínios territoriais são seus por direito, quando na verdade não é. Os córregos, ribeirões, rios e riachos são bens públicos da União (Marinha), e que requerem a atenção não somente das autoridades e órgãos competentes, mas principalmente do apoio da sociedade para que haja uma intervenção quanto à preservação e cuidado com os mesmos.

“É necessário que haja a preservação do meio ambiente e tudo que nele há. Infelizmente quando falamos em preservação do meio ambiente, poucos tem interesse, mas desde uma pequena reunião como esta, já é o bastante para termos soluções eficazes para sanar a problemática da seca, da poluição e do desmatamento dos ribeirões e córregos, os quais requerem muitos cuidados, por isso estamos engajados na luta em prol da preservação do meio ambiente. Iremos debater juntos as soluções adequadas para a contenção da poluição dos córregos da cidade”, afirmou o secretário executivo para Assuntos Ecológicos e Articulador do Selo Unicef, Emivaldo Aguiar.

No Povoado Folha Grossa o encontro também teve o mesmo teor de discussão, saúde, higiene, educação, lixo, comunicação e desenvolvimento regional. De acordo com o palestrante, a pavimentação da Rodovia TO-126, a localidade poderá nos próximos anos vindouros ser olhada com novas perspectivas de investimentos, o que irá gerar uma expansão territorial e crescimento da economia local.

“A comunidade está inserida numa região de desenvolvimento e, pela força de vontade de todos os moradores, o progresso está vindo e com certeza beneficiará não só a comunidade local, mas toda a região. A localidade será mais atraente do ponto de vista estratégico para a viabilização de novas residências e até mesmo de fonte de investimentos”, frisou o palestrante, Eduardo Busquests.

A educação também foi outro ponto debatido na palestra com os moradores, sendo exposto uma prerrogativa onde diz que a educação não é linear, pois sempre haverá um entreposto na sociedade ou até mesmo no seio familiar, o qual tentará reverter a verdadeira essência da realidade e dos ensinamentos adquiridos na sala de aula. Ou seja, as crianças estão tendo uma educação adequada, porém, muitas das vezes a própria família ou seio social do qual vivem, acabam retorcendo as teorias adquiridas na escola por razões da própria cultura que vem se perpassando há anos, como é o caso de queimar o lixo no quintal de casa. Ação como esta é prejudicial não somente para a comunidade, como também para o meio ambiente.

Bastante preocupado com a situação vivenciada, o morador do Povoado Folha Grossa, que tem uma pequena produção de hortaliça, Silvano da Conceição Barros destacou durante o encontro, que no respectivo povoado o qual reside, quatro poços já secaram. “Será que vivemos sem o meio ambiente? Com certeza não! O meio ambiente pode até viver sem nós, mas não vivemos sem ele. Estamos bastante preocupados com a situação aqui em nosso povoado. Nos últimos dias quatro poços já secaram. As atitudes coletivas vêm refletindo diretamente em cada um de nós, por isso estamos de certa forma pagando por nossos erros”, frisou.

Viveiros de plantas

A Prefeitura Municipal de Tocantinópolis recebeu do Consórcio Estreito Energia (CESTE), doação de 1.245 (mil e duzentos e quarenta e cinco) mudas de plantas para serem destinadas à população, bem como para provimento de reflorestamento das nascentes e margens dos ribeirões, córregos e rios da cidade.
“A Secretaria Municipal de Meio Ambiente tem feito um amplo trabalho em parceira com as escolas, associações, aldeias, comunidades e com os moradores dos povoados, a fim de que tenhamos uma educação ambiental cada vez mais inclusiva e protetiva dentro de cada localidade, propondo ações educativas e sociais para que tenhamos um meio ambiente melhor e mais promissor para todos”, disse Emivaldo.

As comunidades que receberam as palestras se mostraram bastante animadas e acima de tudo, empenhadas para sanar juntos, os problemas de assoreamento, desmatamento das margens e diminuição do fluxo de água nos córregos. A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente irá disponibilizar mudas de plantas nativas para a população fazer o replantio de árvores nas nascentes e nas margens dos córregos, sem nenhum ônus para a comunidade.

“Iremos propor aos moradores e produtores rurais a campanha de reflorestamento e recuperação das nascentes dos córregos e ribeirões que cortam o município de Tocantinópolis. Essa iniciativa visa revitalizar todos os pontos dos mananciais que estão sofrendo constantemente com a ação degradante do homem”, disse Emivaldo Aguiar. (Dirceu Leno)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.