createthumbnail

A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará (Codec), com apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), e em parceria com a Receita Federal e o Conselho das ZPEs, órgão ligado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, avança a passos largos no processo de licenciamento da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Marabá.

O diretor Administrativo e Financeiro da Codec, Helvio Arruda, esteve no dia 5 deste mês em Brasília, para alinhar com o conselho, o andamento do processo de licenciamento e retornou da capital do País com o compromisso de concluir os trabalhos da Codec até o dia 3 de Novembro deste ano. “Nosso objetivo é concluir a nossa parte do trabalho ainda este ano para poder começar a construção do prédio da ZPE já em 2017. A decisão ainda passará pelo GAT (Grupo de Trabalho da CZPE) e por um grupo de ministros, mas estamos confiantes no trabalho realizado pela Codec”, explica Arruda.

A Zona de Processamento de Exportação, de acordo com informações encontradas no site da Associação Brasileira de ZPEs, é um distrito industrial incentivado, onde as empresas neles localizadas operam com suspensão de impostos, liberdade cambial (podem manter no exterior, permanentemente, as divisas obtidas nas exportações) e procedimentos administrativos simplificados – com a condição de destinarem pelo menos 80% de sua produção ao mercado externo.

A ZPE que está sendo planejada para o município de Marabá terá como empresa âncora a Alpa (Alumínios Laminados do Pará), que começou como um projeto original da Vale S/A, e que foi vendida para a gigante argelina Cevital. A siderúrgica vai fabricar trilhos para ferrovias e aço em pó e terá capacidade para gerar 2,7 milhões de toneladas de aço com a produção de bobinas de aço, ferro gusa, “biletts”, “blooms”, entre outros. Por ocasião da assinatura do Protocolo de Intenção entre Governo do Estado, Vale e Cevital, Issad Rebrad, presidente da Cevital Groupe, anunciou que um dos produtos da siderúrgica de Marabá será a fabricação de trilhos para a estrada de ferro.

A empresa é líder na Europa na produção de trilhos, com uma fábrica sediada na Itália, e agora pretende ser a primeira a produzir trilhos na América Latina. “Marabá será conhecida, brevemente, como a principal fornecedora de trilhos para estrada de ferro de toda a América Latina”, garantiu Rebrad, ao informar que a empresa também vai trazer para o Pará a tecnologia de aço em pó, que poucas empresas no mundo detêm.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.