img_8438

O Conselho de Desenvolvimento Comunitário das Quebradeiras de Coco Babaçu e a Suzano Papel e Celulose inauguraram na última quarta-feira (26) a Unidade de Beneficiamento de Coco Babaçu do Grupo Barroquinas, em Coquelândia, povoado de Imperatriz-MA.

Esta unidade é resultado da política de relacionamento da Suzano com Povos e Comunidades Tradicionais, tendo a criação do Conselho de Desenvolvimento Comunitário das Quebradeiras de Coco Babaçu como um dos destaques deste processo. O objetivo da iniciativa é a promoção de desenvolvimento local por meio de ações capazes de transformar as realidades socioeconômicas desses grupos de mulheres, construindo uma cultura inclusiva e empreendedora, onde os comunitários são protagonistas.

O terreno e o prédio da Unidade foram doados pela Suzano Papel e Celulose através do apoio ao Conselho, seguindo a decisão do grupo. Esta Unidade atenderá diretamente 20 quebradeiras de coco e suas famílias e influenciará toda a região organizando as atividades de extração de amêndoas, azeite, óleo e outros produtos derivados. Com isso, será possível fortalecer a organização e a força de trabalho destas mulheres, gerando renda e Sustentabilidade às famílias beneficiadas.

O evento de inauguração da Unidade de Beneficiamento de Coco Babaçu contou com a participação de autoridades locais, representantes do Conselho e da Suzano, além de vizinhos e parceiros da Unidade.

Para Zuleide Pereira de Souza, do Conselho Comunitário de Quebradeiras de Coco, a Unidade de Beneficiamento é muito importante não só para as quebradeiras de coco, mas também para a comunidade. “Nós lutamos muito para conseguirmos esta Unidade. Este espaço é muito útil para tirarmos o azeite, para nossos eventos e para mantermos nossa Associação. Esta é a realização de um sonho.”

O Conselho de Desenvolvimento Comunitário das Quebradeiras de coco babaçu é uma iniciativa da Suzano que promove e estimula um modelo participativo de relacionamento entre as comunidades onde a empresa atua, com o principal objetivo de transformar a realidade socioeconômica das comunidades locais, criando nelas uma cultura empreendedora.

De acordo com Alexandre Di Ciero, gerente executivo de Sustentabilidade da Suzano, a empresa acredita que o modelo é um case de sucesso. “O Conselho é fruto de um aprendizado da empresa, um modelo novo e muito promissor que prega que, de forma participativa entre empresa, comunidade e governo, conseguiremos ter sucesso e progressos no desenvolvimento de ações sociais sustentáveis.”

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.