unnamed

A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) solicitou ao Sebrae Nacional parceria para impulsionar o desenvolvimento agropecuário do Bico do Papagaio, região formada por 26 municípios no extremo norte do Tocantins.

“Queremos aproveitar a expertise do Sebrae para elaborar estudos que sinalizem os rumos certos a seguir para gerar renda e emprego para a região, que ainda tem indicadores de pobreza preocupantes”, afirmou Kátia Abreu durante reunião com o Diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, Vinícius Lages, no último dia 20.

Atualmente as principais cadeias produtivas do Bico do Papagaio são derivadas da agricultura familiar, como mel, babaçu, mandioca, frutas nativas, ovos, pesca artesanal e leite. Segundo Kátia Abreu, a região se tornou um desafio ao desenvolvimento regional dada sua ampla dimensão territorial e seu grande potencial de expansão de cadeias produtivas.

A parceria com o Sebrae, disse a senadora, servirá inicialmente para identificar a vocação dos produtores locais e das terras. O passo seguinte, será elaborar planos de negócios e oferecer assistência técnica e capacitação profissional.

“Precisamos adequar melhor as aptidões locais com o objetivo de desenvolver cadeias produtivas adaptadas à região, com a perspectiva de instalação de agroindústrias. A região precisa de empregos. Os pequenos produtores e os familiares não podem ficar de fora”, observou Kátia Abreu.

Bico do Papagaio

A região tem população total de 196.389 habitantes , com 33% vivendo na área rural. Abrange área de 15.852,60 Km² e é composto por 25 municípios: Axixá do Tocantins, Nazaré, Riachinho, Sampaio, Sítio Novo do Tocantins, Aguiarnópolis, Ananás, Angico, Araguatins, Augustinópolis, Buriti do Tocantins, Cachoeirinha, Carrasco Bonito, Darcinópolis, Esperantina, Itaguatins, Luzinópolis, Maurilândia do Tocantins, Palmeiras do Tocantins, Praia Norte, Santa Terezinha do Tocantins, São Bento do Tocantins, São Miguel do Tocantins, São Sebastião do Tocantins, Tocantinópolis e Xambioá.

A maior parte dos estabelecimentos rurais do Bico do Papagaio ainda são muito pobres. 71% das propriedades vivem com renda mensal bruta de 0 a 2 salários mínimos. 21% são considerados pobres (2 a 10 salários mínimos) e apenas 7% estão na classe média (10 a 200 salários mínimos). A classe rica representa 0,2% (acima de 200 salários mínimos).

Dos 26 municípios, 18 possuem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) médio e as demais 7 cidades têm IDH baixo.

A região tem turismo intenso, com destaque para Araguatins, cujas praias no Rio Araguaia lotam durante a temporada seca, chegando a receber 10 mil turistas. Augustinópolis oferece boa rede hoteleira, cadeia de bares e restaurantes e opções de lazer, por isso costuma sediar grandes eventos. Já em Esperantina se encontram as águas dos rios Tocantins e Araguaia, com belas praias desertas de areia fina e branca. Em Angico está a cachoeira do Trevo, há vaquejadas e artesanato.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.