img-20161014-wa0135

A Justiça Federal prorrogou a prisão temporária de oito suspeitos de envolvimento com fraudes em obras de infraestrutura no Tocantins, que são investigadas pela Operação Ápia da Polícia Federal. O diretor da Agetrans, Stemir de Souza Pereira e a integrante da comissão de licitação Renilda Martins Rezende tiveram a liberdade concedida pela Justiça.

Vão ficar mais cinco dias detidos na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP) o ex-governador do Estado Sandoval Cardoso, o ex-presidente da Agetrans, Kaká Nogueira; o integrante da Comissão de Licitação, Ciro Caetano da Silva; o dono da Epeng – Empresa Projetos de Engenharia, Francisco Antelius Servulo Vaz; o representante da MVL Construções Marcos Vinícius Lima Ribeiro, o representante da EHL Wilmar Oliveira de Bastos, além de sócio representante da Construtora Barra Grande, Geraldo Magela Batista de Araújo, que está detido no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar por ser militar reformado e do proprietário da CRT Construtora, Rossine Aires Guimarães, que está em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, por causa de um problema de saúde.

O coordenador de obras da Agetrans, Bruno Marques Rocha, o representante da CSN Engenharia, Humberto Siqueira Nogueira e a integrante da comissão de licitação, Renilda Martins Rezende, se entregaram nesta segunda-feira, 17, e devem participar de audiências de custódia nesta terça, 18, para decidir se ficarão em liberdade.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.