Um resumo baseado no artigo da professora Norma Braga – Apenas Arte?

No mês de setembro fomos surpreendidos com dois eventos culturais. A mostra Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, promovida pelo banco Santander em Porto Alegre, e a performance ‘La Bête’ que foi realizada na abertura da Mostra Panorama da Arte Brasileira no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Hoje em dia é inegável que algumas pessoas militam com veemência por uma liberdade sexual absoluta, em que se pode ter sexo com qualquer pessoa, de qualquer idade, inclusive com animais. Essas pessoas têm criado armadilhas que tentam enganar os pais, e sorrateiramente a cada dia vai desenvolvendo a erotização das nossas crianças.

Será que uma criança consegue decidir a sua opção sexual, ou de expressar com clareza que quer dar consentimento sexual a um adulto? A liberdade sexual não pode ser a prioridade. Devemos proteger os mais frágeis e zelar pelos valores da família cristã.

Essa liberdade almejada por alguns está destruindo a sociedade. Vemos na política, na educação e na mídia pessoas que tentam impor estes novos conceitos de liberdade sexual, e de expressão, tentando sexualizar as crianças sob o pretexto da educação, através de livros e cartilhas didáticos, filmes e outras atividades artísticas que tornam crianças e adolescentes vulneráveis e os induz a fazer escolhas prematuras que ao final trazem inúmeras conseqüências negativas para o desenvolvimento destes jovens.

Não podemos simplesmente ignorar estes acontecimentos, seja na mostra Santander que mostrou imagens de zoofilia ou de crianças em simulação de sexo, seja nessa performance no Museu de Arte Moderna de São Paulo em que crianças tinham contato físico com um homem nu. As crianças não têm maturidade suficiente para entender o contexto que elas foram inseridas, e ser conivente com estes fatos, é dar uma brecha perigosa para mais ações cada vez mais ousadas de outros grupos que defendem esse tipo de liberdade de expressão.

Entendo que estes fatos se tratam de violência contra as crianças, e nós não temos o direito de fechar os nossos olhos e fingir de que algo muito ruim não esteja acontecendo em nosso país, através da erotização das nossas crianças e adolescentes, e também desse absurdo que é a ideologia de gênero.

• Sandro Bandeira é formado em administração, e atualmente é secretário geral do PRB Tocantins. Contato: sandrobandeiragmail.com (63) 9915-9807 (61) 99971-9803

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.