negao do cinda

O vereador Negão do Cinda (PPS), procurou o webjornal Folha do Bico na tarde desta quinta-feira, 26, e pediu espaço para expor as razões que levaram o parlamentar a votar contra o Projeto de Lei, da Prefeitura Municipal, que visa a compra de uma área para implantação de um projeto habitacional no município, por meio de doação de lotes.

Negão disse que a matéria seria ilegal e apontou três questões. Na primeira, o parlamentar aponta que o contrato estaria no nome pessoal do prefeito Auri-Wulange Ribeiro Jorge (PRB) e não em nome da Prefeitura. O segundo ponto irregular questionado pelo parlamentar são as datas do contrato. Negão apresentou uma cópia do contrato de compra e venda onde o pagamento da primeira parcela já teria sido feita, sem a autorização legislativa, antes mesmo do projeto ser enviado a Câmara. E o terceiro questionamento do vereador é de os pagamentos serem feitos com nota promissória.

“As pessoas tem que entender que administração não é feita como uma barganha pessoal. O prefeito cometeu grave ato de improbidade administrativa e nós não somos obrigados a chancelar e aprovar irregularidades de ninguém. Nossa obrigação como vereadores é apoiar o que for legítimo para a municipalidade e questionar o que é errado. Este projeto está totalmente acometido de erros e irregularidades. O município também não é obrigado a comprar terreno e colocar em do senhor Auri não, tem que ser em nome da municipalidade. Ainda sobre todas essas irregularidades, nós apenas pedimos vistas para que todos os erros fossem sanados. Mas a base do prefeito na mesma sessão, derrubou o pedido e não quis dialogar. Preferiram acatar a ordem ilegal do prefeito”, disse Negão.

O parlamentar disse ainda que deve acionar a Justiça denunciando as supostas irregularidades.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.