image

Treze proprietários de áreas desapropriadas para a formação do lago da Usina Hidrelétrica de Estreito, na divisa dos estados do Tocantins e Maranhão, vão receber R$ 2,4 milhões em indenizações, conforme informações da Justiça Federal. As audiências de conciliação, entre os proprietários e as empresas que integram o Consórcio Estreito Energia (Ceste) – responsável pela construção e operação da hidrelétrica, aconteceram na Subseção Judiciária de Araguaína, no período de 09 a 12 de novembro.

Segundo a Justiça Federal, entre os anos de 2008 e 2011, foram protocoladas 36 ações de desapropriação e cerca de 36% dos processos de desapropriação resultaram em acordo. As demais ações que não obtiveram entendimento entre as partes continuam tramitando na Justiça Federal.

UHE de Estreito

A UHE Estreito foi inaugurada em 2012 e está localizada no Rio Tocantins, na divisa dos estados do Maranhão e Tocantins. A obra levou cinco anos para ser concluída e contou com o investimento de R$ 5 bilhões. A UHE Estreito possui capacidade nominal instalada de 1.087 MW e abrangência áreas de 12 municípios, sendo dois no Maranhão e 11 no Tocantins: Carolina e Estreito (MA); e Aguiarnópolis, Babaçulândia, Barra do Ouro, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratins, Palmeirante, Palmeiras do Tocantins e Tupiratins (TO). (Jornal do Tocantins/Com informações da Ascom da Justiça Federal)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.