img-20151124-wa0003_-_copia_0

A Polícia Civil cumpriu 20 mandados judiciais de busca e apreensão e prendeu cinco pessoas em flagrante por crimes diversos, durante operação policial, em Parauapebas, sudeste paraense. O balanço da operação, iniciada no sábado passado, foi divulgado nesta terça-feira, 24, após a conclusão dos trabalhos. Segundo o delegado Thiago Carneiro, titular da Superintendência da Região de Parauapebas, no sábado, foram presos Galcides de Jesus e Luciano Fernandes da Silva. Os dois vão responder pelos crimes de descaminho e posse ilegal de arma de fogo. Com eles, 51 pacotes de cigarro de origem estrangeira e uma espingarda com seis munições foram apreendidos.

Na segunda-feira, a operação teve continuidade com a prisão de Joaquim Gonçalves Neto pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. Com ele, uma espingarda de calibre 36 e 31 munições para o mesmo calibre, além de quatro munições para revólver calibre 38. Ainda, no mesmo dia, foi preso Josuel Marcelino Batista Oliveira com quem foi apreendida uma pistola calibre 6.35, além de sete munições, cerca de um quilo de banana de dinamite e 30 pacotes de cigarros sem documentação exigida por lei. Ele foi autuado pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, posse ilegal de explosivos de uso restrito e descaminho.

Outra prisão realizada durante a operação foi a de Alair Freitas Barbosa com quem foi apreendida uma espingarda de calibre 12 com cano serrado e uma moto com chassi adulterado. Conforme o delegado, com as prisões, a expectativa é de que os índices de crimes no município sejam reduzidos. O policial civil ressalta que, durante a operação, muitos pontos de tráfico de drogas foram descobertos e isso, salienta o delegado, vai dificultar a ação dos traficantes na região. Toda operação contou com apoio dos delegados Paulo Junqueira e Yanna Azevedo, da Seccional Urbana de Parauapebas.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.