soja

Na região sul do estado do Maranhão o plantio da safra de soja está atrasado por falta de chuvas. Os agricultores esperam plantar perto de 700 mil hectares de soja, mas na maioria das lavouras o plantio está atrasado porque o volume de chuvas ainda não foi suficiente para colocar as máquinas no campo.

O gerente de fazenda Almar Peruzzo afirma que a instabilidade no clima acaba comprometendo toda uma safra. Ele acrescenta que sem chuva não tem como pensar em plantio. “Sem a chuva não tem como plantar porque tem que ter umidade no solo, tem que molhar o solo para a semente germinar”, explicou.

Na maioria das fazendas do Maranhão que cultivam a soja como principal produto para a exportação a saída, em tempos de escassez de chuva, tem sido um equipamento conhecido pelos plantadores como “pivô”. O artefato é capaz de irrigar uma lavoura de 400 hectares substituindo desta maneira a falta de chuva.

Em condições climáticas desfavoráveis investir em semente mais resistente para garantir uma maior produtividade pode ser uma boa saída. Pelo menos é o que garante o agricultor Idone Grolli que diz que “Mas o agronegócio tem uma certa proteção e eu acho que a gente não pode ficar sofrendo pelo o coletivo quando o nosso setor na verdade não está tão ruim assim desde que chova bem e que todo mundo tivesse feito a lição de casa de boa tecnologia, uma semente de qualidade porque em período de pouca umidade a semente tem que ser muito boa porque se não germina direito”, finalizou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.