O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) fechou uma madeireira no município de Pacajá, no sudeste do estado, neste sábado (28). A ação integra mais uma etapa da operação “Kracatoa”. O estabelecimento foi desativado por falta de licença de operação e da comprovação da origem da madeira.

De acordo com o  boletim sobre os índices de desmatamento no país, divulgado na última quinta-feira (26) pelo Ministério de Meio Ambiente, o Pará controlou a prática ilegal no período  de agosto de 2014 a julho de 2015. Os números seriam reflexo das fiscalizações intensificadas no estado, mas ainda há irregularidades ocorrendo em determinadas regiões.

Operação

Serrarias de cinco municípios do sudeste do estado já foram fiscalizadas durante a operação. De acordo com os fiscais do Ibama, muitas delas já deveriam estar desativadas, mas os pátios cheios de madeira comprovam o funcionamento ilegal.

Durante a operação realizada neste sábado em Pacajá, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram identificados dois crimes só nesta madeireira. Segundo o Ibama, a empresa teria inserido dados falsos no Sisflora, liberando um plano de manejo de 8.500 metros cúbicos de madeira, que segundo os fiscais não existe.

Na realidade, a madeireira estava sem saldo no sistema, por isso o segundo crime. As madeiras encontradas no pátio da empresa, mais 1.200 metros cúbicos, não têm origem legal. Além disso, de toda a carga, 51 metros cúbicos, é de castanheira, que tem o corte e a comercialização proibidos desde 1994.

O gerente da empresa atribui as irregularidades ao excesso de burocracia da Secretaria de Meio Ambiente, que segundo ele demora ou não libera as licenças para a extração da madeira na região.

A madeireira foi desativada e todo maquinário retirado do local e a empresa foi multada em mais de meio milhão de reais.

Outras ações
No início da semana, a operação foi realizada na vila do km 50, na região de Baião, onde duas serrarias foram desativadas e todo equipamento utilização para a extração ilegal da madeira foi retirado do local. A madeira apreendida foi doada para as prefeituras da região.

Além das vistorias em serrarias e madeireiras, também foram intensificadas as fiscalizações nas rodovias federais, onde até o momento foram identificados irregularidades em 80% dos veículos abordados. Somente neste sábado foram apreendidos seis caminhões carregados com madeira irregular.

Os motoristas dos caminhões apreendidos foram presos em flagrante e vão responder na Justiça pelo crime ambiental. A operação ainda deve continuar na região nos próximos dias.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.