O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Pará em 2013 foi divulgado na manhã desta quinta-feira (19), em entrevista coletiva na Fapespa
O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Pará em 2013 foi divulgado na manhã desta quinta-feira (19), em entrevista coletiva na Fapespa

O Produto Interno Bruto (PIB) do Pará em 2013 foi de R$ 120,9 bilhões, passando a ocupar a 11ª posição nacional, com crescimento real de 2,77% naquele ano. O resultado foi divulgado na manhã desta quinta-feira (19), em entrevista coletiva da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa).

Segundo a Fapespa, o setor agropecuário apresentou crescimento real, ficando 4% acima do PIB estadual. Na sequência aparecem o setor de serviços, com crescimento de 2,64%, e a indústria, com 2,21%. Das atividades agropecuárias com maior destaque de crescimento no PIB estadual estão a produção florestal e pesca (7%), pecuária (3,5%) e agricultura (3%).

Para o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, o setor agropecuário revela-se promissor para o crescimento econômico do Pará. “A agropecuária tem participação expressiva no PIB estadual, como observamos no resultado do desempenho deste setor em 2013, o que requer atenção especial para uma das atividades mais importantes para a nossa economia”, ressaltou.

A Fapespa também apresentou a nova série de Contas Regionais do Brasil 2010-2013, com ano de referência 2010, calculada pela fundação em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desagregada em 18 atividades econômicas, a série atual possibilita melhor mensuração da economia paraense, frente às doze atividades divulgadas na série anterior.

Conforme a nova série, em 2013 houve acréscimo de R$ 15 bilhões ao valor do PIB. Ao comparar as séries nova e antiga, constata-se a magnitude do PIB paraense, para a nova série, que é superior para todos os anos comparada à série anterior. Não houve inversão na tendência do PIB.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.